maio 27, 2022

O Ribatejo | jornal regional online

Informações sobre Portugal. Selecione os assuntos que deseja saber mais sobre a Folha d Ouro Verde

Paquistão: homem linchado por moradores por alegação de blasfêmia, diz polícia

Paquistão: homem linchado por moradores por alegação de blasfêmia, diz polícia

primeiro ministro Imran Khan ordenou ação contra a multidão e qualquer polícia que agisse como espectador do assassinato.

“O linchamento será tratado com toda a severidade da lei. Temos tolerância zero para qualquer um que faça justiça com as próprias mãos”, disse ele em comunicado.

Um porta-voz do governo disse que mais de 60 pessoas suspeitas de envolvimento no linchamento foram presas, acrescentando que mais suspeitos estão sendo identificados por meio de vídeos de mídia social filmados pelos moradores de Tulamba, distrito de Khanewal.

A multidão se reuniu em uma mesquita na noite de sábado depois que o filho de seu líder de oração anunciou que viu o homem queimando páginas do livro sagrado, disse o policial Munawar Hussain à Reuters.

A polícia chegou para encontrar o homem inconsciente e amarrado a uma árvore, disse Hussain, acrescentando que a multidão também atacou a polícia.

“Os aldeões armados com cassetetes, machados e barras de ferro o mataram e enforcaram seu corpo em uma árvore”, disse Hussain.

Ele disse que as evidências até agora reunidas pela polícia sugerem que o homem morto, identificado como Muhammad Mushtaq, estava na casa dos 50 anos e parecia ter deficiências mentais.

Premiê paquistanês chama assassinato de mafiosos de

Assassinatos em massa por acusações de blasfêmia – um crime que pode levar à pena de morte – são bastante frequentes no Paquistão de maioria muçulmana.

Em dezembro, operários de fábrica na cidade oriental de Sialkot lincharam e queimou o corpo de um cingalês em um ataque que Khan disse ter envergonhado o país.
READ  Cingapura suspende a quarentena para alguns viajantes da Alemanha e Hong Kong