dezembro 2, 2022

O Ribatejo | jornal regional online

Informações sobre Portugal. Selecione os assuntos que deseja saber mais sobre a Folha d Ouro Verde

Oposição de centro-direita de Portugal conquista liderança nas eleições dias antes das eleições

Cartaz do PSD do Partido Social Democrata para as eleições antecipadas que ocorrerão em 30 de janeiro é vista em Lisboa, Portugal, 19 de janeiro de 2022. REUTERS / Pedro Nunes / Foto de arquivo

Registre-se agora para ter acesso GRATUITO e ilimitado ao Reuters.com

  • Portugal realiza eleições parlamentares a 30 de janeiro
  • Principal oposição avança – sondagem de opinião
  • Analistas dizem que socialistas no poder ainda podem vencer

LISBOA, 25 Jan (Reuters) – O principal partido de oposição de Portugal, o Partido Social-Democrata (PSD), de centro-direita, garantiu uma vantagem marginal sobre o Partido Socialista, no poder, depois de subir nas pesquisas de opinião poucos dias antes de uma eleição antecipada, mostrou uma pesquisa publicada nesta terça-feira. .

A pesquisa de opinião realizada pela Aximage mostrou um grande salto no apoio ao Partido Social Democrata (PSD), liderado pelo economista moderado Rui Rio, para 34,4%, de 28,5% há uma semana. A eleição acontece no domingo.

Os socialistas de centro-esquerda do primeiro-ministro Antonio Costa viram um declínio acentuado, para 33,8% das intenções de voto de 38,5% anteriormente, confirmando a tendência de queda observada em outras pesquisas.

Registre-se agora para ter acesso GRATUITO e ilimitado ao Reuters.com

O PSD vem ganhando terreno desde que emergiu de um longo período de turbulência interna em novembro, quando reelegeu o Rio como seu líder, e fez uma campanha forte.

Suas perspectivas aprimoradas e o desgaste sofrido pelos socialistas ao gerenciar a pandemia do COVID-19 podem ter influenciado muitos eleitores indecisos ultimamente, dizem analistas, embora a eleição permaneça aberta.

‘LUTA PRÓXIMA’

“Será uma luta acirrada até o dia das eleições”, disse Adelino Maltez, professor de ciência política da Universidade de Lisboa, atribuindo a queda de Costa aos seus repetidos ataques ao PSD, que em grande parte evitou trocar farpas.

READ  Investigadores do Porto desenvolvem vacina comestível para feijão-caupi

“Isso alienou… o eleitor médio que é pragmático e não comprometido com as lutas políticas”, disse Maltez, acrescentando que Costa ainda pode sair por cima.

Ambos os partidos votaram bem aquém de uma maioria de trabalho, o que significa que eles terão que negociar alianças pós-eleitorais. A esquerda combinada ainda tem uma pequena vantagem, mostrou a pesquisa.

Em outubro, os dois ex-aliados de Costa – os comunistas e o Bloco de Esquerda – se aliaram a partidos de direita para rejeitar o projeto de lei orçamentário do governo minoritário, desencadeando as eleições antecipadas.

O Bloco de Esquerda e os comunistas obtiveram 6,6% e 4,5%, respectivamente, na pesquisa da Aximage. O partido de extrema-direita Chega, com 8%, se tornaria a terceira maior força no parlamento.

O partido Iniciativa Liberal ficou em 2,8%, o CDS-PP de direita 1,6%, o partido de esquerda Povo-Animais-Natureza (PAN) 3,3% e o eco-socialista Livre 1,4%.

Analistas duvidam que a eleição por si só resolva o impasse existente, já que nenhum partido ou aliança viável provavelmente alcançará uma maioria estável, potencialmente minando a capacidade do país de estimular o crescimento usando fundos europeus de recuperação de pandemias.

A Aximage entrevistou 965 pessoas em janeiro. 16-21, com margem de erro de 3,15%.

Registre-se agora para ter acesso GRATUITO e ilimitado ao Reuters.com

Edição por Andrei Khalip, Raissa Kasolowsky e Gareth Jones

Nossos padrões: Os Princípios de Confiança da Thomson Reuters.