maio 19, 2022

O Ribatejo | jornal regional online

Informações sobre Portugal. Selecione os assuntos que deseja saber mais sobre a Folha d Ouro Verde

O que está por trás de uma disputa legal entre a Qatar Airways e a Airbus?  |  Notícias explicativas

O que está por trás de uma disputa legal entre a Qatar Airways e a Airbus? | Notícias explicativas

A Qatar Airways está buscando uma compensação de US$ 618 milhões mais US$ 4 milhões um dia após o aterramento de 21 A350 por questões de segurança.

A Qatar Airways está trancada há meses em uma disputa legal com a fabricante europeia da Airbus por “preocupações sérias e legítimas de segurança” após a entrega de jatos A350.

A companhia aérea estatal do Catar está buscando compensação, dizendo que os aviões defeituosos a forçaram a aterrar 21 de sua frota de 53 Airbus A350 nas séries 1000 e 900.

Aqui estão alguns fatos importantes:

Como começou a disputa?

A transportadora nacional do Catar levantou preocupações sobre o estado de seus A350 em novembro de 2020, quando uma tentativa de repintar um jato de cinco anos com a pintura da Copa do Mundo expôs cerca de 980 defeitos.

De acordo com uma agência de notícias Reuters investigação, pelo menos cinco outras companhias aéreas, incluindo Finnair, Cathay Pacific, Etihad, Lufthansa e Air France, levantaram preocupações em 2016 – bem antes da Qatar Airways – mas não aterraram suas aeronaves.

A Airbus, com sede na França, reconheceu que as falhas precisavam de atenção, insistindo que eram questões cosméticas e não colocavam a segurança em risco.

A Qatar Airways disse que a Airbus não forneceu uma análise completa da causa raiz necessária para responder a questões não resolvidas sobre a aeronavegabilidade dos jatos afetados, incluindo o sistema de proteção contra raios.

Em 20 de dezembro do ano passado, a Qatar Airways lançou a Airbus no Reino Unido. O caso deve ser julgado no final de abril.

Quais são os problemas?

A reclamação da companhia aérea diz que a pintura do Airbus A350 recentemente entregue estava rachando e descascando, expondo a malha de cobre usada para isolar a aeronave contra raios.

READ  Moderna exige que a Food and Drug Administration dos EUA autorize sua vacina para crianças menores de 6 anos

Foi publicado por vídeo nas mídias sociais na sexta-feira do exterior marcado de jatos A350 aterrados.

O clipe mostrou áreas de pintura descascada ou faltando, rachaduras e danos à proteção anti-relâmpago, bem como o que a companhia aérea descreveu como manchas de fibra de carbono que foram expostas à umidade e à luz ultravioleta potencialmente prejudicial.

O jato leve de fibra de carbono conta com uma folha metálica embutida sob a pintura para ajudar o raio a passar com segurança sobre a fuselagem, que é menos condutora do que o metal anterior.

O vídeo mostrou flocos do sistema anti-relâmpago de malha de cobre, que deveria ser fixado ao avião com resina, se soltando quando a tinta era arrancada por uma mão enluvada.

Uma imagem sem data mostra o que parece ser pintura descascada, rachaduras e folha de cobre expandida exposta na fuselagem de uma aeronave A350 da Qatar Airways [Image obtained by Reuters]

O que a companhia aérea está exigindo?

A Qatar Airways está pressionando por uma compensação de US$ 618 milhões mais US$ 4 milhões por dia e interrompeu o recebimento de mais 23 A350s.

Seu caso legal detalhou como a Autoridade de Aviação Civil do Qatar (QCAA) começou a retirar as licenças de voo para aviões A350 individuais em uma série de cartas a partir de junho de 2021.

Ele disse que o QCAA disse à Airbus que a deterioração do avião era “perturbadora, se não alarmante”.

A Airbus disse que vai lutar contra a alegação, dizendo que não há “base razoável ou racional” para os aterramentos, o que não aconteceu em outros lugares.

Qual é a posição da Airbus?

A Airbus diz que está pensando em mudar o design da malha anti-relâmpago para os futuros A350, mas insiste que há proteção adequada contra raios de backup. Ele diz que a Qatar Airways está minando os protocolos globais ao buscar alavancagem sobre a segurança.

READ  Alibaba da China promete ser neutro em carbono até 2030

A Airbus diz que forneceu as informações relevantes e concluiu que não há risco de aeronavegabilidade, uma visão ecoada pelo regulador aéreo da Europa.

Na sexta-feira, a Airbus cancelou um contrato de US$ 6 bilhões com a Qatar Airways para 50 de seus novos jatos de passageiros A321neo, aumentando a batalha legal.

Aeronaves A350 da Qatar AirwaysUm avião Airbus A350 da Qatar Airways no aeroporto de Berlim [File: Odd Andersen/AFP]