maio 17, 2022

O Ribatejo | jornal regional online

Informações sobre Portugal. Selecione os assuntos que deseja saber mais sobre a Folha d Ouro Verde

O ministro das Relações Exteriores da Rússia, Lavrov, pede a Putin que dê mais tempo para a diplomacia em meio à crise na Ucrânia

O ministro das Relações Exteriores da Rússia, Lavrov, pede a Putin que dê mais tempo para a diplomacia em meio à crise na Ucrânia

O ministro das Relações Exteriores da Rússia, Sergei Lavrov, participa de uma coletiva de imprensa conjunta com a secretária de Relações Exteriores britânica, Liz Truss, em Moscou, Rússia, em 10 de fevereiro de 2022. Ministério das Relações Exteriores da Rússia/Publicado via Reuters/Foto de arquivo

Registre-se agora para obter acesso ilimitado e gratuito ao Reuters.com

MOSCOU (Reuters) – O ministro das Relações Exteriores da Rússia, Sergei Lavrov, sugeriu nesta segunda-feira ao presidente Vladimir Putin que Moscou continue na via diplomática em seus esforços para extrair garantias de segurança do Ocidente à medida que as tensões aumentam sobre a Ucrânia.

Lavrov disse a Putin que os Estados Unidos fizeram propostas concretas para reduzir os riscos militares, mas disse que as respostas da União Europeia e da aliança militar da Otan não foram satisfatórias.

Em uma conversa televisionada, Putin é mostrado perguntando a Lavrov se há uma chance de um acordo para resolver as preocupações de segurança da Rússia, ou se está sendo arrastado para negociações meticulosas.

Registre-se agora para obter acesso ilimitado e gratuito ao Reuters.com

Lavrov respondeu: “Já alertamos mais de uma vez que não permitiremos negociações intermináveis ​​sobre questões que exigem resolução hoje”. Mas, como ministro das Relações Exteriores, ele disse: “Devo dizer que sempre há oportunidades”.

Ele acrescentou: “Parece-me que nossas capacidades ainda não foram esgotadas… Nesta fase, proponho continuar a construí-las”.

Os comentários parecem indicar uma probabilidade reduzida de ação militar russa iminente após repetidos avisos dos Estados Unidos de que a Rússia pode atacar a Ucrânia a qualquer momento.

Moscou, que reuniu mais de 100.000 soldados perto da fronteira da Rússia com a Ucrânia, negou repetidamente quaisquer planos de invasão, acusando os Estados Unidos e seus aliados de histeria.

READ  Paquistão: homem linchado por moradores por alegação de blasfêmia, diz polícia

Lavrov disse que recebeu respostas “insatisfatórias” a uma carta que enviou a dezenas de membros da UE e da Otan sobre a questão da “segurança indivisível” – uma referência à reclamação da Rússia de que a Ucrânia e os países ocidentais estão fortalecendo sua segurança às custas da Rússia e que isso é uma violação dos acordos internacionais.

“Recebi respostas insatisfatórias e nenhum dos meus colegas ministros respondeu à minha mensagem direta”, disse ele. Portanto, continuaremos buscando uma resposta concreta de todos os países.”

Registre-se agora para obter acesso ilimitado e gratuito ao Reuters.com

(Reportagem de Daria Korsunskaya e Vladimir Soldatkin) Escrito por Alexander Marrow e Mark Trevelyan Edição por Gareth Jones

Nossos critérios: Princípios de Confiança da Thomson Reuters.