agosto 9, 2022

O Ribatejo | jornal regional online

Informações sobre Portugal. Selecione os assuntos que deseja saber mais sobre a Folha d Ouro Verde

O Dia do Juízo Final do Euro Enfrenta - Politico

O Dia do Juízo Final do Euro Enfrenta – Politico

Clique no play para ouvir este artigo

Deveria ter sido um dia de celebração, pois o Euro deu as boas-vindas à Croácia como o 20º país.

Mas enquanto os ministros das Finanças endossavam o mais novo membro de seu clube, a moeda única deslizou em direção a um marco indesejável: a paridade com o dólar americano.

Os analistas agora se perguntam até que ponto o euro pode cair, em meio a temores de que a rápida desvalorização da moeda neste ano possa exacerbar o custo de vida da miséria para centenas de milhões de europeus.

Em última análise, à medida que o aumento dos custos de energia e a inflação pressionam os padrões de vida, pode haver um preço político a pagar.

“A queda do euro tem mais espaço para correr”, tuitou no domingo o economista-chefe do Instituto de Finanças Internacionais, Robin Brooks. “Estamos apenas no começo.”

Na terça-feira, o euro atingiu brevemente a paridade em relação ao dólar americano pela primeira vez em 20 anos. A última vez que o euro valeu menos do que o dólar foi em 2002, quando o dinheiro do euro estava em sua infância e era compartilhado apenas por 12 estados membros.

A moeda única perdeu mais de 10% de seu valor em relação ao dólar desde o início do ano. Foi uma queda rápida, alimentada em parte pela deterioração das perspectivas de crescimento na zona do euro graças à invasão russa da Ucrânia e pelo aumento da demanda pelo dólar como moeda segura.

Como sempre, nem todos verão isso como uma má notícia. Há vantagens em uma moeda em declínio, que é que as exportações se tornam mais baratas e mais atraentes. Mas o comissário europeu de Economia, Paolo Gentiloni, alertou que seria “um erro” ver o euro cair nesses termos.

READ  Ouch: Voo Extra Longo da British Airways para Hong Kong

“É claro que incentiva a capacidade de exportação, mas também temos que olhar para o lado negativo dessa moeda”, disse ele em entrevista coletiva na segunda-feira.

Um euro mais fraco torna as importações mais caras – aumentando as pressões inflacionárias.

Um formulador de políticas que alertou para esse perigo é François Villeroy de Gallo, membro do Conselho de Administração do Banco Central Europeu. Ele alertou no início deste ano que o banco central “monitoraria cuidadosamente a evolução da taxa de câmbio efetiva, como um importante motor da inflação importada”.

“Um euro muito fraco vai contra nosso objetivo de estabilidade de preços”, acrescentou.

Um artigo do Banco Central Europeu publicado em 2020 citou modelos que estimam que uma depreciação de 1% do euro em relação a uma cesta de moedas poderia adicionar até 0,11 ponto percentual à inflação em um ano – e 0,25 ponto percentual em três anos.

Sem fundo ainda?

Analistas estão alertando que o euro pode não ter chegado ao fundo do poço, devido aos riscos contínuos de que um corte de gás russo poderia levar a região a uma profunda recessão.

Alguns sugeriram que 1 euro caia para 90 centavos de dólar no evento sombrio, mas não impossível para a Rússia Não reinicia Gasoduto Nord Stream 1.

Este cenário, por sua vez, poderia restringir significativamente a capacidade do BCE de aumentar as taxas de juros, o que ainda não fez. Espera-se que aumente as taxas de juros de referência em 25 pontos base em 21 de julho, quando realizar sua próxima reunião de política, e pode anunciar um aumento maior em setembro.

READ  Barragens explodiram no Nordeste do Brasil porque a região foi afetada por enchentes

Por outro lado, o Federal Reserve dos EUA foi na frente, forçando agressivamente o dólar a aumentar as taxas de juros.

“O Fed continua sendo visto como tendo mais espaço para aumentar as taxas de juros no futuro, também com base em um forte relatório de empregos nos EUA para junho”, explicou Roberto Mialic, analista de câmbio do UniCredit, em nota de pesquisa. Por outro lado, outros bancos centrais, como o Banco Central Europeu e [Bank of England]Eles podem ter que se tornar mais prudentes, dada a exposição direta de suas economias à crise de gás e energia.”

Enquanto isso, o dólar está se beneficiando dos fluxos de porto seguro, à medida que os investidores migram para os títulos do governo dos EUA como uma proteção contra a incerteza econômica e política.

Se o euro continuar a cair, “sem dúvida [the ECB] Chris Turner, economista do ING, disse que a medida seria muito preocupante – especialmente se se desenvolvesse em uma mentalidade de “venda na zona do euro”. “No entanto, diante do risco iminente de recessão – e o euro é pró-cíclico – as mãos do BCE podem ser limitadas em sua capacidade de ameaçar aumentos mais agressivos das taxas em defesa do euro.”

A preocupação com o euro surgiu no dia em que os ministros das Finanças da UE deram a aprovação final para a adesão da Croácia à zona do euro, permitindo a adoção da moeda única a partir de janeiro de 2023.

“O fato de a Croácia se tornar o 20º membro da área da União Monetária Europeia também é uma indicação clara de que a integração europeia continua apesar de todos os desafios que enfrentamos”, disse Zdravko Maric, ministro das Finanças croata cessante.

READ  Ucrânia diz que pelo menos 13 pessoas morreram em ataque com mísseis russos em shopping

Os procedimentos formais desta terça-feira complementam o processo de adesão de um ano, que exige que os países cumpram uma série de critérios, como estabilidade de preços, câmbio e taxas de juros, além de disciplina orçamentária e moratória no financiamento monetário.

A Croácia também terá um assento na mesa do Conselho de Governadores do Banco Central Europeu – como observador a partir de setembro e como membro de pleno direito em janeiro.

Ao receber a Croácia no grupo, a presidente do Banco Central Europeu, Christine Lagarde, disse que a adesão exige adesão e respeito às regras, acrescentando: “É um clube maravilhoso para se ser membro”.

Tim Ross contribuiu com reportagem.