Fevereiro 27, 2024

O Ribatejo | jornal regional online

Informações sobre Portugal. Selecione os assuntos que deseja saber mais sobre a Folha d Ouro Verde

O chefe da Força Aérea de Portugal tem uma ‘visão’ do F-35, mas por enquanto é tudo.

O chefe da Força Aérea de Portugal tem uma ‘visão’ do F-35, mas por enquanto é tudo.

Guerra Aérea Global

A Força Aérea Portuguesa delineou uma nova 'visão' para substituir os jatos F-16 (foto) pelos F-35 dos EUA, mas o processo de aquisição não está em andamento.  (Força Aérea Portuguesa em X)

A Força Aérea Portuguesa delineou uma nova ‘visão’ para substituir os jatos F-16 (foto) pelos F-35 dos EUA, mas o processo de aquisição não está em andamento. (Força Aérea Portuguesa em X)

BELFAST – Dias depois de o chefe da Força Aérea Portuguesa ter dito que estava interessado em caças F-16 em vez do F-35, o governo deixou claro que não tem planos imediatos de prosseguir com o caça a jato de quinta geração fabricado pela Lockheed Martin.

“Esta é uma visão para o futuro, portanto não há atualmente nenhum processo de compra de aeronaves para substituir os F-16”, disse hoje um porta-voz do gabinete da ministra da Defesa de Portugal, Helena Carreras, ao Breaking Defense em comunicado.

O Chefe do Estado-Maior da Força Aérea Portuguesa (CEMFA), General João Cardaço Alves, levantou a questão quando um porta-voz disse a uma audiência numa conferência de transporte aéreo militar e reabastecimento em Lisboa, na segunda-feira, que Alves tinha, nas palavras do ministério, “de forma semelhante aos países parceiros europeus que migram de do F-16 ao F-35, O F-35 parece ser uma aeronave adequada para substituir o atual F-16 em um futuro próximo.”

Uma porta-voz não respondeu a uma pergunta sobre se Lisboa estava a avaliar outras companhias aéreas para o trabalho.

Relacionado: O programa F-35 completa simulações de combate importantes e abre caminho para a produção em grande escala

Não houve menção de uma aquisição do F-35 ou de um esforço de substituição do F-16 em Portugal. Lei de Programação Militar (LPM), que estabelece grandes aquisições de defesa e gastos de defesa nacional de longo prazo, foi aprovada pelo Conselho de Ministros do país em março de 2023.

READ  Relaxe com a natureza na Palista House na Península de Tróia, em Portugal

Este último plano LPM gasta 5,5 mil milhões de euros (6 mil milhões de dólares) até 2034 e dá prioridade a oito grandes aquisições que já estão em curso, incluindo um novo programa de aeronaves de apoio próximo e encomendas de aviões de transporte tanque Embraer KC-390 Millennium e encomendas de seis Viana adicionais. fabricar navios de patrulha offshore da classe Castello.

Se Portugal quiser prosseguir com o F-35, as discussões com os EUA serão o primeiro passo. Um funcionário do Departamento de Estado dos EUA disse ao Breaking Defense: “Não podemos divulgar conversas diplomáticas privadas que os parceiros têm connosco sobre as suas escolhas de aquisição”, comentando ainda o governo português e o escritório do programa F-35.

No entanto, se uma aquisição do F-35 eventualmente for concretizada, Portugal juntar-se-á a vários países europeus, como a Bélgica, a Dinamarca, a Noruega e a Holanda, na substituição das frotas de F-16 pelo Joint Strike Fighter.

A Roménia também está perto de se juntar ao grupo depois de uma aquisição de 32 aeronaves por 6,5 mil milhões de dólares em Setembro.