janeiro 27, 2023

O Ribatejo | jornal regional online

Informações sobre Portugal. Selecione os assuntos que deseja saber mais sobre a Folha d Ouro Verde

Notícias da guerra entre a Rússia e a Ucrânia: atualizações ao vivo

Notícias da guerra entre a Rússia e a Ucrânia: atualizações ao vivo

atribuída a ele…Gavril Grigorov/Sputnik, via AFP – Getty Images

VARSÓVIA – Sob crescente pressão do Kremlin para fornecer mais apoio à guerra da Rússia na Ucrânia, o presidente bielorrusso Alexander G. Lukashenko está recebendo uma rara visita de seu colega russo, Vladimir Putin, à capital de seu país na segunda-feira.

Lukashenko, o aliado mais próximo de Putin, depende de Moscou para financiamento, combustível e assistência de segurança para manter seu poder de 28 anos. Os dois homens se encontraram pelo menos seis vezes desde que a Rússia lançou sua invasão total da Ucrânia em fevereiro, usando a Bielorrússia como plataforma de lançamento para seu ataque fracassado a Kyiv, a capital ucraniana. Mas essas reuniões foram todas fora da Bielo-Rússia, principalmente na Rússia.

Depois de meses escondido no Kremlin e da retirada de seu país perto de Moscou, fugindo dos reveses militares e diplomáticos russos, Putin procurou nas últimas semanas oferecer uma abordagem mais prática e direta. séculos foto. Sua viagem de segunda-feira a Minsk, capital da Bielorrússia, segue-se a uma visita que fez na semana passada ao Quirguistão e A Viagem de sexta-feira a um comando militar russo Outro em local não divulgado.

Com a Rússia atolada no campo de batalha, Lukashenko permitiu que ela usasse seu território para lançar mísseis e bombardeios contra a Ucrânia, mas até agora resistiu à pressão de Moscou para enviar suas próprias forças. O homem forte bielorrusso insistiu, em comentários divulgados pela agência de notícias estatal, que seu encontro com Putin na segunda-feira se concentraria em questões econômicas, especialmente o preço do gás natural russo, do qual Belarus depende muito. Mas reconheceu que “claro que não vamos evitar” questões militares e “vamos falar sobre a capacidade de defesa e segurança do nosso estado”.

READ  Nova Zelândia facilita bloqueio da Covid em Auckland

A reunião de Minsk segue repetidas advertências da Ucrânia nos últimos dias de que as forças russas podem se preparar Novo ataque da Bielorrússia O objetivo é fazer outro esforço para capturar Kyiv, a apenas cerca de 55 milhas da fronteira com a Bielo-Rússia, ou interromper o fluxo de armas ocidentais da Polônia para a Ucrânia.

Mas a maioria dos especialistas militares acredita que o exército russo foi tão maltratado por quase 10 meses de guerra que não há necessidade de uma nova ofensiva da Bielorrússia, com ou sem a participação das forças bielorrussas.

disse o Institute for the Study of War, um think tank com sede em Washington em um relatório Foi relatado na sexta-feira que uma nova incursão russa na Ucrânia é improvável porque “ainda não há indicações de que as forças russas sejam uma força de ataque na Bielo-Rússia”.

Belarus disse que os ministros da Defesa da Rússia e Belarus assinaram um acordo não especificado no início deste mês para fortalecer os laços militares. Ela estava verificando a prontidão de combate de suas tropas. A última vez que o fez foi poucos dias antes de a Rússia invadir a Ucrânia a partir de seu território.

Mas a enxurrada de atividades militares na Bielorrússia, incluindo a chegada Milhares de soldados russos ostensivamente para treinamento, Pode ser parte de uma trama elaborada destinada a forçar a Ucrânia a deslocar suas forças para o norte das frentes ativas no leste e no sul do país.

De acordo com o Instituto para o Estudo da Guerra, o encontro de Putin com Lukashenko “reforçará a operação de informação russa destinada a convencer ucranianos e ocidentais de que a Rússia pode atacar a Ucrânia a partir de Belarus”.

READ  Atriz Ai Weiwei alerta contra arrogância em tempos 'complicados'

Se este é o jogo da Rússia, parece estar funcionando, com a ansiedade crescente na Ucrânia de que o Kremlin esteja pressionando a Bielo-Rússia a se juntar a uma nova ofensiva do norte. O presidente ucraniano, Volodymyr Zelensky, realizou uma reunião no domingo com os chefes de defesa e segurança na qual Belarus foi o “principal assunto da agenda”, disse seu gabinete. ele disse em um comunicado. Em seu discurso à noite, Zelensky disse que a Ucrânia estava “se preparando para todos os cenários defensivos possíveis”. Mykhailo Podolak, um conselheiro sênior de Zelensky, disse ao New York Times no domingo que a Ucrânia está se preparando para a possibilidade de a Rússia A guerra vai aumentar lançar uma ofensiva de inverno.

E no dia anterior, Podolak disse na televisão ucraniana que a Rússia está muito inclinada a que a Bielorrússia se junte à guerra diretamente. Ele acrescentou que seria “suicídio” para Lukashenko.

Em um reconhecimento público incomum da visão de que ele está tão em dívida com Moscou que só pode concordar com suas exigências, Lukashenko negou na sexta-feira que era falso Estamos falando que “não há mais poder na Bielo-Rússia, que os russos já estão administrando tudo”, e eles insistiram: “Ninguém, exceto nós, governa a Bielo-Rússia”.