Fevereiro 22, 2024

O Ribatejo | jornal regional online

Informações sobre Portugal. Selecione os assuntos que deseja saber mais sobre a Folha d Ouro Verde

Moody’s alerta para mais problemas para os bancos dos EUA com rebaixamentos do setor

Moody’s alerta para mais problemas para os bancos dos EUA com rebaixamentos do setor

  • Escrito por Natalie Sherman, Darbel Jordan e Farea Masood
  • Correspondentes de negócios da BBC

vídeo explicativo,

É o início de uma crise financeira?

A gigante das classificações Moody’s alertou para mais problemas que aguardam o sistema bancário dos EUA depois que uma corrida aos depósitos levou ao colapso do Silicon Valley Bank.

A Moody’s rebaixou sua perspectiva para o setor de estável para “negativa”, alertando para uma “rápida deterioração no ambiente operacional”.

O rebaixamento ocorreu quando as ações de bancos nos Estados Unidos e na Europa se recuperaram após perdas anteriores.

Mas a Moody’s disse que alguns outros bancos enfrentaram riscos de retirada.

Ela disse que o aumento das taxas de juros também representa um desafio, expondo os bancos que compraram ativos, como títulos do governo, quando as taxas de juros estavam baixas, a possíveis perdas.

“Bancos com grandes perdas não realizadas em valores mobiliários e depositantes americanos não-individuais sem seguro podem permanecer mais sensíveis à concorrência dos depositantes ou eventual fuga”, disse a Moody’s no relatório.

“Esperamos que as pressões continuem e sejam exacerbadas pelo aperto contínuo da política monetária, com as taxas de juros provavelmente permanecendo elevadas por mais tempo até que a inflação retorne à meta do Fed.”

As autoridades agiram rapidamente para tentar conter as consequências após o colapso repentino do Silicon Valley Bank (SVB), o 16º maior banco dos EUA.

A empresa, um grande credor de empresas de tecnologia, faliu na semana passada após uma onda de retiradas de clientes, desencadeada pela divulgação do banco de que precisava levantar dinheiro e vender uma série de ativos, principalmente títulos do governo, com prejuízo.

Os reguladores dos EUA assumiram o controle do banco e disseram que garantiriam depósitos acima do nível de US$ 250.000 normalmente garantidos pelo governo. Eles tomaram medidas semelhantes em seu banco de assinaturas menor.

A mídia dos EUA informou que funcionários do Departamento de Justiça e da Comissão de Valores Mobiliários estão investigando o acidente.

Relatórios indicam que alguns clientes de bancos americanos menores estão tentando canalizar seu dinheiro para instituições maiores.

Analistas esperam turbulência no sistema financeiro causada por falhas em levar o Federal Reserve a desacelerar ou parar de aumentar as taxas de juros quando se reunir na próxima semana.

Essa visão ganhou força na terça-feira, depois que o último relatório de inflação mostrou que os preços nos Estados Unidos subiram 6% nos 12 meses até fevereiro, em linha com as expectativas, ajudando a impulsionar os estoques.

Quando as negociações começaram na terça-feira, o First Republic Bank, com sede em São Francisco – que viu o preço de suas ações cair 62% na segunda-feira – saltou mais de 50%, uma das várias empresas cujas ações estavam em recuperação. Acabou fechando quase 30%.

Os três principais índices de ações também subiram, com o Dow Jones subindo 1%, o S&P subindo 1,7% e o Nasdaq terminando o dia com mais de 2% de alta.

No Reino Unido, as ações do setor bancário – que haviam caído acentuadamente na segunda-feira – subiram ao meio-dia de terça-feira. O FTSE 100 subiu cerca de 1,2%.

O índice bancário europeu Stoxx também abriu em baixa na terça-feira, mas depois se recuperou para fechar em quase 3%.

Mas as ações do HSBC, que resgataram os negócios do SVB no Reino Unido por £ 1, fecharam 1% mais baixas, e houve enormes perdas durante a noite no Japão, onde grandes credores, como o maior banco do país, o MUFG, viram o preço de suas ações cair mais de 8%.

O índice de ações dos bancos japoneses, conhecido como Topix Banks Index, caiu 7,4%, apesar das garantias do Banco do Japão (BoJ).

“A exposição direta das instituições financeiras japonesas aos bancos do Vale do Silício é pequena, então o impacto provavelmente será limitado”, disse um funcionário do Banco do Japão.

READ  Powell diz que vê um caminho no qual a inflação diminui sem perdas significativas de empregos