fevereiro 9, 2023

O Ribatejo | jornal regional online

Informações sobre Portugal. Selecione os assuntos que deseja saber mais sobre a Folha d Ouro Verde

Mais um membro do Governo português demitiu-se no mais recente escândalo de recrutamento

LISBOA, 5 Jan (Reuters) – Um alto funcionário do governo português recém-nomeado renunciou nesta quinta-feira, em um novo embaraço para o governo socialista, que tem enfrentado duras críticas sobre suas práticas de veto após uma onda de escândalos e renúncias.

Os socialistas, liderados pelo primeiro-ministro Antonio Costa, conquistaram a maioria parlamentar nas eleições de um ano atrás, mas o governo teve uma jornada atribulada desde que 11 ministros e secretários de Estado deixaram seus cargos, alguns devido a irregularidades ou alegações passadas. Práticas questionáveis.

No mais recente desenvolvimento, o jornal Correio da Manha noticiou na quinta-feira que Carla Pereira, que só assumiu o cargo de secretária de Estado da Agricultura na quarta-feira, teria contas bancárias apreendidas por causa de uma investigação de corrupção sobre o marido, ex-prefeito. .

Vários partidos de oposição exigiram sua demissão. O marido dela, Américo Pereira, disse que apenas ele estava sendo investigado e não a esposa.

O ministério da agricultura, que inicialmente disse que não havia motivos para ele deixar o cargo por não ter sido acusado de nenhum crime, disse posteriormente em comunicado que ele havia apresentado sua demissão, que foi imediatamente aceita.

Perera não estava disponível para comentar.

No final de dezembro, o ministro das Infraestruturas, Pedro Nuno Santos, demitiu-se após uma reação pública sobre as enormes indemnizações recebidas pelo novo secretário do Tesouro da companhia aérea estatal TAP. O secretário também renunciou.

Em novembro, o braço direito de Costa, Miguel Alves, ele desceu Depois de ser formalmente acusado por promotores estaduais de má conduta durante sua gestão como prefeito em 2015-16. Alves nega irregularidades.

“Dizemos não à incompetência e à instabilidade… Precisamos de um novo governo, e precisamos dele agora”, disse Joa Countrym, líder do pequeno mas expressivo partido Iniciativa Liberal, ao parlamento, pedindo aos legisladores que apoiem uma moção de desconfiança. . , que foi rejeitado.

READ  Viajar para Portugal de Comboio - Actualização

Caterina Martins, chefe do Bloco de Esquerda, disse que há demasiadas nomeações duvidosas, acrescentando que “por cada caso encerrado, abre-se um novo caso”.

Respondendo às críticas, Costa disse ao parlamento que proporia ao presidente um novo sistema de testes para o período entre as nomeações e as nomeações efetivas de funcionários do governo para “garantir maior transparência e confiança”.

No entanto, muitas vezes ele minimizou a questão, dizendo que o que realmente importava para os portugueses não era a linha de governo, mas os resultados de sua administração, como crescimento econômico sólido, baixo desemprego e baixa dívida pública.

Reportagem de Caterina Demoni em Lisboa, Reportagem adicional de Patricia Rua em Lisboa, Edição de Andre Caleb, Francis Kerry e Matthew Lewis

Nossos padrões: Princípios de confiança da Thomson Reuters.