Junho 14, 2024

O Ribatejo | jornal regional online

Informações sobre Portugal. Selecione os assuntos que deseja saber mais sobre a Folha d Ouro Verde

Julian Assange: Fundador do WikiLeaks pode recorrer da extradição para os Estados Unidos

Julian Assange: Fundador do WikiLeaks pode recorrer da extradição para os Estados Unidos

Se o tribunal tivesse decidido a favor dos Estados Unidos, o Sr. Assange teria esgotado todas as vias legais no Reino Unido.

Os Estados Unidos procuram a sua extradição depois de publicar milhares de documentos secretos, que o Departamento de Justiça dos EUA descreveu como “uma das maiores violações de informações confidenciais na história dos Estados Unidos”.

Os ficheiros indicam que os militares dos EUA mataram civis em incidentes não relatados durante a guerra no Afeganistão.

As autoridades dos EUA dizem que Assange colocou a vida das pessoas em risco ao não redigir os nomes dos agentes de inteligência nos documentos, mas os seus advogados disseram que o caso é uma forma politicamente motivada de “retaliação estatal”.

“Ele literalmente expôs crimes de guerra”, disse Assange ao programa Today da BBC Radio 4 na segunda-feira.

“Este caso é a vingança daquele país contra a abertura e a responsabilização.”

A então ministra do Interior, Priti Patel, assinou a ordem de extradição de Assange em 2022, mas Ele voltou ao Tribunal Superior em fevereiro de 2024 para pedir autorização para apelar, externo.

Numa audiência em Março, foi concedido ao governo dos EUA mais tempo para fornecer garantias ao tribunal de que o Sr. Assange não receberia a pena de morte nos EUA, para além de duas outras razões:

  • Que o Sr. Assange poderá confiar na Primeira Emenda da Constituição dos EUA – que protege a liberdade de expressão

  • Sua cidadania australiana não contará contra ele

No mês passado, os juízes confirmaram que os Estados Unidos deram garantias ao tribunal.

Separadamente, no mês passado, o Presidente dos EUA Joe Biden disse que está considerando um pedido da Austrália para cancelar o julgamento de Assange E devolva-o ao seu país de origem.