setembro 23, 2021

O Ribatejo | jornal regional online

Informações sobre Portugal. Selecione os assuntos que deseja saber mais sobre a Folha d Ouro Verde

Há mais casos do que Lisboa pelo segundo dia consecutivo no norte de Portugal

O último governo de Portugal Boletim Pelo segundo dia consecutivo, os novos números de casos mostram que é maior no norte do que em Lisboa / Vel do Tejo – a área ‘líder’ em termos de propagação do vírus.

As autoridades afirmam há algum tempo que a erupção na capital foi um platô.

No que diz respeito às ‘notícias’, deve ser visto no contexto do crescente debate sobre a sensação de ‘teste em massa’ de indivíduos assintomáticos.

A Organização Mundial da Saúde já afirmou que esta não é uma política sensata. Nenhum dado, diz a diretriz provisória de junho de 2021, fornece um ‘teste abrangente de indivíduos assintomáticos’ com ‘desempenho funcional’.

É exactamente isso que está a acontecer em Portugal – especialmente em Lisboa / Vale do Tejo porque as unidades móveis estão ocupadas esta semana, oferecendo cheques covit gratuitos a todos os que estiverem na zona, sejam eles residentes na capital ou mesmo. País.

Ele disse que os resultados do teste de fim de semana geralmente seriam ‘baixos’. Hoje não é excepção: 1.855 testes positivos (não dizemos quantos foram efectivamente retirados de um universo): 755 no norte, 624 em Lisboa / Vel do Tejo, 231 em Alcarve, 127 na região centro e 61 em Allendez.

O número de pessoas com necessidade de tratamento hospitalar para o Covit-19 aumentou no final de semana, agora para 851 (181 delas estão na UTI).

Mais uma vez, esse aumento deve ser comparado às máximas anteriores, principalmente nos meses de janeiro e fevereiro.

Rt (número que representa a transação) caiu para 1,10 – mas nacionalmente (no continente) atingiu 403 casos por 100.000 cidadãos.

É uma média: alguns municípios rurais têm alguns casos, seguidos de milhares de áreas metropolitanas.

O foco está em ‘vacina, vacina, vacina’, enquanto muito pouco é explicado sobre a condição daqueles que morreram recentemente de Covia.

No fim-de-semana, a âncora da SIC, Clara de Sousa, descreveu-os como “com mais de 80 anos, independentemente de estarem vacinados ou não utilizados (este último não é possível.).

Falando no noticiário da tarde da SIC, o especialista internacional em saúde pública Diego Coreia falou no contexto da decisão da Grã-Bretanha de ‘retirar as restrições’ de hoje (apesar do aumento do número de casos) de que as pessoas precisam saber se aqueles que foram vacinados estão sendo revacinados . ; Eles são hospitalizados em UTIs e qualquer nível de doença é vivenciado pela geração mais jovem.

READ  Revelou as 10 ruas mais caras de Portugal

“Essas devem ser as novas linhas vermelhas”, disse ele. “Mais do que a circulação (detalhes) do vírus.

natasha.donn@algarveresident.com