dezembro 5, 2022

O Ribatejo | jornal regional online

Informações sobre Portugal. Selecione os assuntos que deseja saber mais sobre a Folha d Ouro Verde

Explicador do G20: Tudo o que você precisa saber sobre a cúpula crucial desta semana | G20

O que está acontecendo?

Na terça-feira, os líderes do Grupo dos 20 – as maiores economias do mundo – se reunirão em Bali, na Indonésia, para uma cúpula anual ofuscada pela presença da Rússia durante sua guerra no Ucrânia. Apesar da retirada do presidente Vladimir Putin, seu veterano ministro das Relações Exteriores, Sergei Lavrov, representará a Rússia.

O Grupo dos Vinte – composto por 19 países mais a União Europeia – representa quase dois terços da população mundial, 85% da produção econômica mundial e 75% do comércio mundial.

Em 2022, havia 20 membros no grupo: Argentina, Austrália, Brasil, Canadá, ChinaFrança, Alemanha, Índia, Indonésia, Itália, Coreia do Sul, Japão, México, Rússia, Arábia Saudita, África do Sul, Turquia, Reino Unido, Estados Unidos e União Europeia.

Quais são os principais problemas?

Além dos discursos de líderes mundiais, um conjunto de conversas bilaterais será realizado em um cenário de tensões globais envolvendo Invasão da Ucrânia E o mundo que se seguiu Repercussões econômicasO crise climaticaE a O programa nuclear da Coreia do Norte está em ebuliçãoE as As crescentes ambições globais da China.

É o maior encontro do grupo de líderes desde o início da pandemia de coronavírus, e a Indonésia – como país anfitrião – estabeleceu uma agenda com foco na recuperação econômica da pandemia, medidas globais de saúde e energia sustentável.

Qual é a principal reunião para assistir?

Embora não seja uma reunião rigorosa do G20, Joe Biden e seu colega chinês Xi JinpingEm Bali em uma tarde de segunda-feira Para seu primeiro encontro cara a cara como líderes. Biden – Quem agora tem mais capital político Após os resultados das eleições de meio de mandato dos EUA – Ele disse que buscaria estabelecer limites nas relações EUA-China que permitiriam competição e coexistência. Espera-se também alertar para a invasão de Taiwan, esforços para restringir a navegação no Mar do Sul da China.

READ  COP27: Cúpula aprova fundo climático 'para perdas e danos' em acordo histórico

O conselheiro de Segurança Nacional dos EUA, Jake Sullivan, disse que Biden seria “bastante direto e direto” com Xi e espera o mesmo em troca. Autoridades dizem que isso pressionará a China a conter sua aliada Coreia do Norte após uma série recorde de testes de mísseis que levantaram temores de que Pyongyang em breve realizará seu sétimo teste nuclear.

Shi pode não estar com vontade de ajudar. Ele entrou na reunião impulsionado pela recente aquisição de um histórico terceiro mandato, consolidando-o como o líder chinês mais poderoso por gerações.

Quem vai também?

Primeiro ministro britânico Rishi Sunak Ele também foi para Bali, onde enfrenta seu primeiro grande teste diplomático. Espera-se que ele se concentre diretamente na invasão russa da Ucrânia e enfatize o apoio de Kyiv. “Invocaremos o regime de Putin e revelaremos seu total desprezo pelo tipo de cooperação internacional e respeito pela soberania que fóruns como o G20 representam”, disse Sunak em comunicado no sábado. O presidente da Ucrânia, Volodymyr Zelensky, foi convidado a falar quase na cúpula.

Biden e Sunak. Encontro presencial pela primeira vez No G20 na quarta-feira, quando diplomatas dos EUA aumentaram a pressão para chegar a um acordo sobre Irlanda do Norte Protocolo para o 25º Aniversário do Acordo de Sexta-feira Santa no próximo ano. Biden indicou que visitará a Irlanda do Norte para comemorar o aniversário e há muito tempo deseja proteger o acordo.

O primeiro-ministro britânico também está programado para realizar uma reunião individual com Príncipe herdeiro da Arábia Saudita, Mohammed bin Salman.

Outros líderes mundiais presentes incluirão o presidente indonésio Joko Widodo, o primeiro-ministro canadense Justin Trudeau, o primeiro-ministro japonês Fumio Kishida, o primeiro-ministro indiano Narendra Modi, o primeiro-ministro australiano Anthony Albanese, o presidente sul-coreano Yun Suk-yul, o chanceler alemão Olaf Scholz e o francês Presidente Emmanuel Macron do sul. O presidente africano Cyril Ramaphosa, o presidente turco Recep Tayyip Erdogan, o presidente argentino Alberto Fernandez, o chanceler mexicano Marcelo Ebrard e a primeira-ministra italiana Giorgia Meloni.

READ  Presidente chinês: ambições de reduzir emissões de carbono não devem entrar em conflito com 'vida normal'

O ex-presidente Jair Bolsonaro não comparecerá.

A União Europeia será representada por Ursula von der Leyen e Charles Michel.

Vamos ter uma foto de grupo embaraçosa este ano?

Não, há uma vontade Não deveria ser uma “foto de família” oficial de líderes mundiais Quando eles se conheceram devido ao aborrecimento generalizado com a presença da Rússia no topo.