maio 27, 2022

O Ribatejo | jornal regional online

Informações sobre Portugal. Selecione os assuntos que deseja saber mais sobre a Folha d Ouro Verde

Estação Espacial Internacional despencará em um túmulo aquático em 2030 | Estação Espacial Internacional

O Estação Espacial Internacional (ISS) continuará suas operações até 2030 antes de seguir para um túmulo aquático no ponto mais remoto do Pacífico, confirmou a Nasa em um novo plano de transição nesta semana.

Mais de 30 anos após seu lançamento em 1998, a ISS será “desorbitada” em janeiro de 2031, de acordo com as estimativas orçamentárias da agência espacial. Uma vez fora de órbita, a estação espacial fará uma descida dramática antes de aterrissar em Point Nemo, que é cerca de 2.700 km de qualquer terra e tornou-se conhecido como o cemitério espacial, um local de descanso final para o espaço desativado, satélites antigos e outros detritos espaciais humanos.

Também conhecida como “Pólo Oceânico de Inacessibilidade” ou “Área Desabitada do Oceano Pacífico Sul”, a região ao redor do cemitério espacial é conhecida por sua total falta de atividade humana. É “praticamente o lugar mais distante de qualquer civilização humana que você pode encontrar”, como A NASA colocou.

A Nasa disse que planeja continuar pesquisas espaciais futuras comprando espaço e tempo para cientistas astronautas em espaçonaves comerciais.

Ao comemorar o recorde de realizações científicas da ISS, Robyn Gatens, diretora do International Espaço Station na sede da NASA, também enfatizou em um comunicado que seu objetivo atual era “estabelecer as bases para um futuro comercial em órbita baixa da Terra”.

“Estamos ansiosos para compartilhar nossas lições aprendidas e experiência de operações com o setor privado para ajudá-los a desenvolver destinos espaciais seguros, confiáveis ​​e econômicos”, disse Phil McAlister, diretor de espaço comercial da sede da Nasa, em comunicado.

A Nasa estimou que a transição de sua pesquisa espacial de uma estação espacial dedicada para o aluguel de espaço a bordo de empreendimentos espaciais comerciais economizaria US$ 1,3 bilhão somente em 2031, e que a economia poderia “ser aplicada às iniciativas de exploração do espaço profundo da NASA, permitindo que a agência explore mais e mais rapidamente no espaço profundo”.

READ  Moléculas orgânicas foram confirmadas na cratera de Jezero em Marte

A ISS, do tamanho de um campo de futebol americano, orbita a Terra cerca de uma vez a cada 90 minutos e tem sido continuamente ocupada por astronautas desde novembro de 2000.

Em setembro, uma autoridade russa alertou que pequenas rachaduras haviam sido descobertas na estação espacial que poderiam piorar com o tempo e levantou preocupações sobre equipamentos antigos e o risco de “falhas irreparáveis”, informou a BBC News.

A estação espacial foi originalmente planejada para operar por apenas 15 anos, mas a Nasa disse em um relatório que “há alta confiança de que a vida útil da ISS pode ser estendida até 2030”, embora algumas análises de sua viabilidade ainda estejam sendo conduzidas.

A ISS estava “examinando os recentes problemas técnicos a bordo do segmento russo”, disse a Nasa em seu relatório.

Desde 1971, quase 300 pedaços diferentes de detritos espaciais, incluindo pelo menos cinco estações espaciais, foram afundados em Point Nemo, a maioria deles de origem americana ou russa, de acordo com um artigo de revisão de lei sobre o cemitério espacial. impacto ambiental.

O fim da estação espacial provavelmente será de fogo. O “queda” de Mir, a estação espacial russa, aconteceu em março de 2001, quando um navio de carga disparou seus motores para empurrar a estação espacial para fora de órbita e enviá-la despencando em direção à Terra. Enquanto os painéis solares e outras peças periféricas da estação espacial se romperam durante sua queda, cerca de 20 a 25 toneladas de restos caíram juntos, resultando em estrondos sônicos, de acordo com a documentação da Nasa.