Junho 22, 2024

O Ribatejo | jornal regional online

Informações sobre Portugal. Selecione os assuntos que deseja saber mais sobre a Folha d Ouro Verde

Economia britânica cresce 0,1% no primeiro trimestre mas inflação continua a pressionar

Economia britânica cresce 0,1% no primeiro trimestre mas inflação continua a pressionar

  • A economia britânica cresceu 0,1% no primeiro trimestre, mas apresentou uma contração inesperada de 0,3% em março.
  • A construção e a manufatura apresentaram forte crescimento, mas os serviços foram atingidos por quedas no comércio atacadista e varejista, enquanto a renda das famílias permaneceu restrita e as greves prejudicaram o crescimento.
  • O Banco da Inglaterra disse na quinta-feira que não espera mais que o Reino Unido entre em recessão este ano.

Um membro do público caminha sob forte chuva perto do Banco da Inglaterra em maio de 2023.

Dan Kitwood | Getty Images Notícias | Getty Images

Dados oficiais divulgados na sexta-feira mostraram que a economia britânica cresceu 0,1% no primeiro trimestre, após uma contração inesperada em março.

Economistas consultados pela Reuters esperavam o mesmo crescimento nos primeiros três meses do ano, mas esperavam uma recessão em março, contra uma queda de 0,3% registrada.

O setor de construção cresceu 0,7%, enquanto a indústria de transformação avançou 0,5% no primeiro trimestre, com crescimento de 0,1% nos serviços e na produção. Na comparação mensal, os serviços caíram 0,5% em março, principalmente devido às quedas no comércio atacadista e varejista e na reparação de automóveis.

A agência nacional de estatísticas disse que não houve crescimento nos gastos reais das famílias, já que a renda permaneceu sob pressão do aumento dos preços.

O número trimestral “sugere que a baixa renda real e as altas taxas de juros, bem como o clima excepcionalmente úmido, estão prejudicando a atividade”, disse Ruth Gregory, vice-economista-chefe da UK Capital Economics, em nota, também citando uma greve generalizada neste ano. . Taxa que desce No consumo do governo e no comércio líquido, é uma “leitura sombria”.

Ainda não há recessão, mas com todo o peso das taxas de juros mais altas ainda a serem sentidas, é muito cedo para soar completamente claro”, acrescentou Gregory.

O crescimento do Reino Unido tem sido fraco até agora este ano, registrando 0,4% em janeiro e estável em fevereiro, depois que a economia evitou por pouco uma recessão técnica em 2022.

A inflação continua sendo um flagelo mais sério para o Reino Unido do que para outras grandes economias, com a leitura de março ainda acima de 10%.

O Banco da Inglaterra elevou na quinta-feira as taxas de juros em 25 pontos-base, para 4,5%, seu 12º aumento consecutivo, em uma tentativa de combater as taxas teimosamente altas. De forma mais otimista, o banco central disse que não espera mais que o Reino Unido entre em recessão este ano, apesar de prever anteriormente a recessão mais longa já registrada.

O Banco da Inglaterra agora espera que o PIB do Reino Unido fique estável durante o primeiro semestre deste ano, crescendo 0,9% em meados de 2024 e 0,7% em meados de 2025.

“Esta pode ser a maior atualização que já fizemos”, disse o governador do Banco da Inglaterra, Andrew Bailey, à CNBC na quinta-feira, defendendo a revisão como resultado da mudança de imagem de dados condicionais, incluindo mercados financeiros, preços de commodities e política governamental.

“O nível ainda é muito baixo, vamos ser honestos”, acrescentou Bailey.

A zona do euro registrou crescimento de apenas 0,1% no primeiro trimestre do ano, com a Alemanha – a maior economia do bloco – estagnada.