Junho 17, 2024

O Ribatejo | jornal regional online

Informações sobre Portugal. Selecione os assuntos que deseja saber mais sobre a Folha d Ouro Verde

Como nadar selvagem na Madeira, Portugal

Como nadar selvagem na Madeira, Portugal

Mayra Santos é uma peculiar e charmosa recordista mundial que oferece aulas na pequena ilha que ela chama de lar.

Myra Santos sai vitoriosa da água após completar a sua natação pela Ilha Dourada do Porto Santo, Portugal. | Cortesia de Mayra Santos

Num dia de 55 graus em Dezembro passado, a 310 milhas da costa do Sahara Ocidental, Myra Santos deu o seu último golpe rumo à história. O atleta de resistência patinou no abraço caloroso do oceano ao amanhecer. Após 11 horas, quase completou a circunavegação do Porto Santo, uma pequena ilha vulcânica pertencente a Portugal.

Centenas de espectadores aplaudiram ao ver sua touca amarela na costa. Eles sabiam que Santos logo alcançaria seu objetivo de se tornar a primeira pessoa a nadar quase 32 quilômetros ao redor da ilha. Mas eles não conhecem as provações da milha final.

As alegres ondas espirraram água salgada na boca da brasileira, e seu olho afetado, danificado durante as milhas de um dígito, tornou-se insuportável em um instante. Mas Santos simplesmente fez o que todo ultramaratonista de sucesso deve fazer: suspender a realidade. Ela começou a visualizar a alegria da conclusão, imaginando seus fãs sorridentes esperando na praia e imaginando como seria ter outro. Suas realizações em águas abertas estão no topo das paradas.

Ao sair da água rasa para a areia aquecida pelo sol, Santos ficou impressionado com a ilha que ela chama de lar. Ela logo esqueceu que estava com dor, embora marcas de vidro ressaltassem seus grandes olhos castanhos. Em vez disso, ela abre os braços para abraçar o marido e treinador, João Duarte – ela o chama de “Treine mais.”

Então, olhando para a multidão, ela perguntou: “O que vem a seguir?”

Dez dias antes de nosso passeio por Puerto Santo, Santos me entregou um maiô em formato de dirndl e me pediu para posar para uma selfie. “O mar não está se comportando”, brincou ele antes de tirar a primeira das 150 fotos que tiraria conosco durante nossa mini sessão prática. “Mas ainda podemos nos divertir.”

Da segurança de uma plataforma de natação de concreto, olhamos para o Atlântico cinza escuro, a 3 metros de profundidade. Uma escada enrolada em corda e coberta de musgo — nosso único meio de acesso — era visível apenas nos espaços estreitos entre as ondas da crista. “Isso vai ser ótimo”, disse ela no tom descontraído de alguém saboreando uma margarita enquanto flutua em um rio lento.

Para um homem como eu, não era um bom dia para nadar. Mas para Santos, que buscava mares tempestuosos com o mesmo entusiasmo com que outros perseguem o sol e o céu limpo, essas eram as condições ideais. “Tenho que treinar em situações adversas para ter certeza de que estou pronto para lidar com qualquer situação que encontrar”, disse ele.

Embora útil para o seu treino pessoal, a tarde foi inesperada para a sua empresa de turismo de natação de aventura, a Swim Madeira, que ajuda a financiar os seus esforços recordes. Uma semana de calotas brancas e chuva fez com que nossas escapadelas de um dia inteiro pela Reserva Natural Parcial de Carajaú nunca se concretizassem.

Quando o tempo está bom – o que é frequentemente o caso no clima subtropical ameno da Madeira – Santos conduz nadadores selvagens novatos e competitivos em aventuras de baixo risco e campos de treino intensivo. Duarte segue no caiaque para animar a todos.

Nadar na Madeira As sessões de meio dia, que incluem transporte de barco para cantos mais tranquilos da ilha, almoço, passeios turísticos e muitas fotos espontâneas da câmera subaquática de Santos, custam a partir de 90€. O tempo total de natação foi em média de uma hora e 45 minutos, dividido em duas sessões.

Os seus populares acampamentos de natação de sete dias levam os aventureiros pelas atraentes águas azuis da Madeira, cobrindo pouco mais de duas milhas náuticas. “Certa vez, surpreendi um cliente, um nadador regular e aventureiro, ao levá-lo a uma caverna onde os bebês tubarões se reúnem em determinadas épocas do ano”, disse Santos.

O venerável comediante fez uma pausa para um chute: “Achei que ela ficaria emocionada, mas quando ficamos cara a cara com os calmos filhotes de tubarão ela gritou. Tubarão, tubarão!

Santos também tem sob sua proteção outros nadadores de ultramaratona. No mês passado, o nadador norte-americano Robin Ross, de 63 anos, organizou o plano de logística e treino para completar a natação de 30 quilómetros da Madeira até às Ilhas Desertas em nove horas e um minuto. Enquanto isso, nossa sessão de treinamento foi 30 quilômetros mais curta que isso.

Para mim, uma corrida de meia hora em águas agitadas parecia exercício suficiente para um ano e dava credibilidade à minha teoria de que Santos era de fato sobre-humano. Enquanto eu cuspia minha salmoura, ela cantou Stevie Wonder e caminhou sem esforço um metro e meio abaixo da superfície da água.

Do fundo da piscina infantil do Sentido Calomar Resort, ele me contou sobre seu recorde mundial de natação contínua mais longa em contracorrente – 31 horas e 7 minutos –, sobre sua infância e o tortuoso e surpreendente caminho para se tornar um nadador competitivo aos velhos tempos. 37.

Santos é natural de Juiz de Fora, cidade tradicional do estado de Minas Gerais, muitas vezes chamada pelas iniciais “JF”. Sua atração pela água foi automática e intensificou-se ao crescer ao lado de uma piscina olímpica em uma escola próxima.

“Esse é o meu refúgio”, disse ela. “Eu iria com minha irmã e minha mãe imploraria para que ela não me deixasse entrar no fundo da piscina.” Mas o desejo é inevitável; Santos jogou as coisas no fundo, arranjando qualquer desculpa para entrar. Ela insistiu em ir recuperá-los.

O recordista mundial começou a estudar natação aos nove anos. | Cortesia de Mayra Santos

Santos ingressou na escola de natação aos nove anos e seu instrutor, Roberto, permite que ela aprimore suas braçadas suaves e constantes de costa a costa. Fiquei surpreso ao saber que ele não ganhou prêmios imediatamente.

Mas foi revelado que o Santos não teve chance de competir.

“Tive que sair aos 15 anos para trabalhar e sustentar minha mãe, que criava a mim e a meus irmãos sozinha”, explicou ela. “Minha infância foi curta, mas bem vivida. Tornei-me mãe aos 19 anos, o que alimentou minha vontade de partir em busca de uma vida melhor para minha filha.

Foi assim que veio parar à Madeira, chegando à ilha em 2004. Cinco anos depois, casou-se com Duarte num barco com vista para o oceano. “Naquela época, eu estava longe de imaginar que um dia esse mesmo mar se tornaria uma parte significativa da minha vida e que eu passaria a maior parte dos meus dias imerso nele”.

Foi só em 2015 que ela classificou sua paixão de infância há muito perdida. Ela tem 36 anos.

Myra Santos tornou-se nadadora competitiva aos 36 anos e planeja continuar até sua morte. | Cortesia de Mayra Santos

Quando você corre, seus joelhos pioram; Existem tantos tackles que você pode realizar antes que o futebol de contato se torne uma coisa do passado; Até os cotovelos dos jogadores de golfe podem congelar com o tempo. A natação é diferente. Steven Munadones, diretor da Associação Mundial de Natação em Águas Abertas, disse certa vez: Mantê-la querer Nova iorquino: Se quiser, você pode nadar até o dia de sua morte. É isso que Santos quer fazer. Ele estima ter passado 2.160 horas nadando ao redor da costa da Madeira, incluindo uma natação de 42 quilômetros do Porto Santo à Madeira. Embora muitas mulheres tenham tentado tal feito, ela foi a primeira a completá-lo.

O seu próximo desafio, uma etapa de 140 quilómetros à volta da Madeira, não deverá ser muito difícil. Mas depois disso, ela espera superar a lenda dos nadadores de ultramaratona como Diana Nyatt, Neil Agius e Chloe McCartel.

“Estou determinado a nadar uma distância muito longa em mar aberto”, compartilhou Santos no WhatsApp, depois que cheguei em casa em segurança. “Acredito que tenho força física e mental. Preciso de mares vastos e de apoio financeiro para cobrir as despesas da equipe, mas tenho força. Vou provar”, disse ele.

Quer mais thrillers? Siga-nos Instagram, TikTok, Twitter, Facebook, PinterestE Luz de rede.

Kiki Dye é redatora freelance que mora em Savannah, GA. Quando não está escrevendo sobre lugares distantes ou comida, ela está sempre procurando novas maneiras de se divertir sem encurtar sua vida.