maio 24, 2022

O Ribatejo | jornal regional online

Informações sobre Portugal. Selecione os assuntos que deseja saber mais sobre a Folha d Ouro Verde

Calma voltou à Guiné-Bissau, dizem publicações nas contas do presidente

Calma voltou à Guiné-Bissau, dizem publicações nas contas do presidente

O presidente da Guiné-Bissau, Umaro Sissoco Embalo, fala durante a Conferência das Nações Unidas sobre Mudanças Climáticas (COP26) em Glasgow, Escócia, Grã-Bretanha, 2 de novembro de 2021. Adrian Dennis/Pool via REUTERS

Registre-se agora para ter acesso GRATUITO e ilimitado ao Reuters.com

  • Guiné-Bissau propenso a golpes e instabilidade
  • Mais cedo, tiros foram ouvidos perto do complexo do governo
  • União Africana condena ‘tentativa de golpe’

BISSAU, 01 Fev (Reuters) – Postagens nas redes sociais de contas ligadas ao presidente da Guiné-Bissau, Umaro Sissoco Embalo, disseram nesta terça-feira que a situação no país da África Ocidental está sob controle do governo e a calma voltou à capital Bissau.

Mais cedo, a União Africana e o bloco regional da África Ocidental CEDEAO denunciaram uma “tentativa de golpe” na Guiné-Bissau depois que tiros pesados ​​foram ouvidos perto de um complexo do governo onde Embalo estava presidindo uma reunião de gabinete.

“A calma regressa a Bissau!” disse um post na conta oficial de Embalo no Facebook. Incluía fotos sem data de Embalo sentado em uma poltrona, conversando com militares uniformizados.

Registre-se agora para ter acesso GRATUITO e ilimitado ao Reuters.com

Uma postagem no Twitter de uma conta não verificada em seu nome disse que ele estava bem.

“A situação está sob controle do governo. Agradeço à população da Guiné-Bissau e a todos além de nossas fronteiras que têm se preocupado comigo e com meu governo”, disse.

A conta não tinha o tique azul que o Twitter indicava ter verificado sua autenticidade, mas mostrava um grande número de postagens anteriores aparentemente de Embalo, relatando assuntos de rotina do governo.

READ  Talibã proíbe barbeiros no Afeganistão de cortar barbas

O ministro dos Negócios Estrangeiros de Portugal, Augusto Santos Silva, disse anteriormente ter recebido informação “positiva” de que Embalo se encontrava na sua residência, embora não soubesse se o ataque ao governo da Guiné-Bissau tinha terminado.

Telefonemas feitos pela Reuters para membros do governo buscando esclarecer a situação que ficaram sem resposta.

O presidente de Portugal, Marcelo Rebelo de Sousa, disse no seu site oficial ter falado com Embalo por telefone e ter “transmitido a sua veemente condenação… destes ataques contra a ordem constitucional da Guiné-Bissau”.

Antes desses desenvolvimentos, a União Africana havia dito que alguns membros do governo estavam sendo detidos e pediu aos militares que os libertassem, sem dar detalhes.

A instabilidade política assolou a Guiné-Bissau durante décadas, com nove golpes ou tentativas de golpe desde a independência de Portugal em 1974.

A embaixada portuguesa pediu aos cidadãos da Guiné-Bissau, uma antiga colónia portuguesa, que ficassem em casa.

O secretário-geral da ONU, António Guterres, estava “profundamente preocupado” com os relatórios da Guiné-Bissau, disse um porta-voz no início do dia.

Sissoco Embalo começou a presidir uma reunião extraordinária de gabinete por volta das 10h00, entrando no Palácio do Governo com um pesado destacamento de segurança, disse uma fonte diplomática. Enquanto ele estava presente no prédio, tiros começaram do lado de fora.

A reunião do gabinete estava sendo realizada para preparar uma próxima cúpula da CEDEAO em resposta à tomada militar da semana passada em Burkina Faso, a mais recente de uma onda de golpes na região nos últimos 18 meses. consulte Mais informação

“Parece difícil argumentar contra a ideia de contágio do golpe”, disse Eric Humphrey-Smith, analista da consultoria de risco Verisk Maplecroft.

READ  Papa diz que russos estão aprendendo que seus "tanques são inúteis" na Ucrânia

“Quando somados aos golpes bem-sucedidos no Mali, Burkina Faso, Guiné e Chade no ano passado, não há dúvida de que os líderes da África Ocidental estão olhando nervosamente sobre seus ombros.”

Registre-se agora para ter acesso GRATUITO e ilimitado ao Reuters.com

Reportagem adicional de Catarina Demony em Lisboa e Hereward Holanda, Bate Felix, David Lewis, Edward McAllister e Aaron Ross; Escrito por Estelle Shirbon; Edição por Bernadette Baum e Frank Jack Daniel

Nossos padrões: Os Princípios de Confiança da Thomson Reuters.