agosto 12, 2022

O Ribatejo | jornal regional online

Informações sobre Portugal. Selecione os assuntos que deseja saber mais sobre a Folha d Ouro Verde

As propriedades em Portugal têm os seus próprios “números de identificação únicos”

Os ativos em Portugal terão os seus próprios “números de identificação únicos” ainda este ano.

De acordo com o jornal Público, um projeto piloto do governo será lançado no segundo semestre de 2022 e cobrirá inicialmente apenas propriedades rurais.

Ou seja, cada imóvel rural em todo o país terá um número de identificação único.

O projeto pode ser expandido para incluir propriedades urbanas no futuro, acrescenta o Público.

A iniciativa é considerada o primeiro passo para a criação de uma base de dados aberta de ativos em Portugal.

“Este pode ser um momento importante para a reforma imobiliária em Portugal”, disse Anabella Pedroso, a secretária de Relações Exteriores da Justiça, citada pelo jornal.

Os proprietários de imóveis hoje estão sobrecarregados com vários números associados aos seus ativos, explicou o Secretário de Estado, acrescentando que este novo número exclusivo que cobre todos os aspectos de uma propriedade tornará suas vidas muito mais fáceis.

O Número de Identificação do Prédio (NIP), como é oficialmente chamado em português, pode ter a mesma parcela de cidadania que o Cartão de Cidadão – mas, neste caso, propriedade.

O esquema segue a criação do Balcão Único do Prédio (BUPi), que permite aos proprietários rurais atualizarem seus cadastros que não estão correta e geograficamente identificados sem seus documentos.

O projecto decorrerá numa primeira fase nas designadas Áreas Integradas de Gestão da Paisagem (AIGP) – zonas com maior risco de incêndios e zonas onde é promovida a gestão geral da agricultura e silvicultura, nomeadamente no centro de Portugal. Será implementado inicialmente em apenas uma ou duas, com vistas à adesão ao programa ao longo de 2023.

READ  9 Restaurantes Fantásticos em Cascais com Vista Água

Embora nem todas as propriedades em Portugal tenham definido um prazo para a obtenção do seu próprio PNI – o sucesso desta iniciativa é tal que “os proprietários devem identificar e registar os seus bens” – com os responsáveis ​​por “um número significativo de bens” com o seu próprio PNI , incluindo áreas urbanas, até o final de 2025.

michael.bruxo@algarveresident.com