Julho 19, 2024

O Ribatejo | jornal regional online

Informações sobre Portugal. Selecione os assuntos que deseja saber mais sobre a Folha d Ouro Verde

As ações sobem à medida que os principais dados de inflação monitorados pelo Federal Reserve continuam a desacelerar

As ações sobem à medida que os principais dados de inflação monitorados pelo Federal Reserve continuam a desacelerar

O maior desafio que o mercado imobiliário enfrenta não desaparecerá tão cedo.

Economistas do Bank of America alertaram que o mercado imobiliário permanecerá “preso na lama e dificilmente se tornará instável” até 2026, com a oferta de casas para venda ainda perto de mínimos históricos.

O chamado efeito “lock-in” dos proprietários que contraíram hipotecas muito baratas quando as taxas de juro estavam baixas durante a pandemia fez com que os proprietários permanecessem onde estavam.

O banco de investimento acredita que os efeitos disto poderão durar 6 a 8 anos, mantendo baixa a actividade imobiliária e, portanto, o investimento residencial que alimenta o cálculo do PIB.

o

O impacto do “bloqueio” pode durar de 6 a 8 anos, reduzindo a atividade habitacional no processo (Fonte: Banco da América)

As altas taxas de juros tiveram um grande impacto na aquisição de casa própria.

As taxas hipotecárias permanecem em torno de 7%, apesar da recente queda nos custos dos empréstimos, mantendo a oferta baixa e elevando os preços das casas que mudam de mãos.

Os preços das casas atingiram um novo máximo histórico em Abril, apesar do crescimento anual mais lento do que no mês anterior, de acordo com um relatório do Banco Central Europeu. Últimos dados disponíveis Do Caso Schiller. O Bank of America espera que os preços das casas cresçam cerca de 4,5% este ano, 5,0% no próximo ano e 0,5% em 2026.

“Os preços das casas já ultrapassaram o seu valor fundamental no longo prazo com base no rendimento disponível”, escreveu Michael Gapen, economista do Bank of America, numa nota aos clientes na sexta-feira.

“Em segundo lugar, as nossas perspectivas para a economia exigem uma normalização contínua à medida que os efeitos da pandemia passam para o espelho retrovisor. A mudança estrutural na procura de habitação que fez subir os preços da habitação deverá desaparecer com o tempo. os preços vão cair muito.”