outubro 23, 2021

O Ribatejo | jornal regional online

Informações sobre Portugal. Selecione os assuntos que deseja saber mais sobre a Folha d Ouro Verde

Alugue – Portugal News

O custo do aluguer em Portugal continua a aumentar. Lisboa e Alcarve são os locais mais caros para alugar.

De acordo com o Instituto Nacional de Estatística (INE) Estatísticas de Rendas à Habitação, a renda média dos 20.568 novos contratos de arrendamento em Portugal atingiu 6,03 € / m2 no segundo trimestre de 2021. [Euros per square metre], “O valor da variação anual de +11,5 por cento no país é superior ao verificado no trimestre anterior (+5,3 por cento)”.

“Este crescimento é claro no primeiro trimestre de 2021, taxa de variação anual de +5,3 por cento, fortemente afetada pelo ambiente epidêmico”, observa ele.

De abril a junho, o número de novos contratos de arrendamento no país também “registou um aumento acentuado em relação ao segundo trimestre de 2020 (+49,3 por cento), com destaque para o período afetado pela epidemia e as medidas de controlo implementadas para a mitigar” .

Em comparação com o primeiro trimestre de 2021, o aluguel médio do segundo trimestre aumentou 4,1 por cento e o número de novos arrendamentos cresceu 3 por cento (-9,3 por cento no primeiro trimestre).

As receitas médias aumentaram em 20 das 25 subdivisões NUTS III, incluindo o loteamento Oste (+12,3 por cento), a região de Aviro (+11,9 por cento), a Região Autónoma da Madeira (+ 11,3 por cento) e a área metropolitana do Porto (+10,2 por cento) )

As rendas mais elevadas registaram-se na área metropolitana de Lisboa (8,82 € / m2), Algarve (6,96 € / m2), na área metropolitana do Porto (6,40 / m2) e na região autónoma de Mathura (6,32 € / m2). )

As rendas mais baixas das novas locações foram registadas em Terrace de Tres-oz-Montez (2,79 / m2) e Aldo Allendez (2,80 / m2).

READ  The Downtown Gazette viaja para Portugal este fim-de-semana

No segundo trimestre de 2021, todos os loteamentos NUTS III registaram um acréscimo do número de novos contratos de locação face ao período homólogo do ano anterior, tendo a área metropolitana de Lisboa acumulado um terço dos novos contratos de locação (7.171 )

Em conjunto, as áreas metropolitanas de Lisboa e do Porto representaram 53 por cento do total de novos contratos no país e o Algarve 6,3 por cento, enquanto Pycho Allendez apresentou o menor número de novos contratos de arrendamento (108).