agosto 9, 2022

O Ribatejo | jornal regional online

Informações sobre Portugal. Selecione os assuntos que deseja saber mais sobre a Folha d Ouro Verde

Alugue – Portugal News

O custo do aluguer em Portugal continua a aumentar. Lisboa e Alcarve são os locais mais caros para alugar.

De acordo com o Instituto Nacional de Estatística (INE) Estatísticas de Rendas à Habitação, a renda média dos 20.568 novos contratos de arrendamento em Portugal atingiu 6,03 € / m2 no segundo trimestre de 2021. [Euros per square metre], “O valor da variação anual de +11,5 por cento no país é superior ao verificado no trimestre anterior (+5,3 por cento)”.

“Este crescimento é claro no primeiro trimestre de 2021, taxa de variação anual de +5,3 por cento, fortemente afetada pelo ambiente epidêmico”, observa ele.

De abril a junho, o número de novos contratos de arrendamento no país também “registou um aumento acentuado em relação ao segundo trimestre de 2020 (+49,3 por cento), com destaque para o período afetado pela epidemia e as medidas de controlo implementadas para a mitigar” .

Em comparação com o primeiro trimestre de 2021, o aluguel médio do segundo trimestre aumentou 4,1 por cento e o número de novos arrendamentos cresceu 3 por cento (-9,3 por cento no primeiro trimestre).

As receitas médias aumentaram em 20 das 25 subdivisões NUTS III, incluindo o loteamento Oste (+12,3 por cento), a região de Aviro (+11,9 por cento), a Região Autónoma da Madeira (+ 11,3 por cento) e a área metropolitana do Porto (+10,2 por cento) )

As rendas mais elevadas registaram-se na área metropolitana de Lisboa (8,82 € / m2), Algarve (6,96 € / m2), na área metropolitana do Porto (6,40 / m2) e na região autónoma de Mathura (6,32 € / m2). )

As rendas mais baixas das novas locações foram registadas em Terrace de Tres-oz-Montez (2,79 / m2) e Aldo Allendez (2,80 / m2).

READ  Portugal, números de abril mostram lugares favoritos dos espanhóis

No segundo trimestre de 2021, todos os loteamentos NUTS III registaram um acréscimo do número de novos contratos de locação face ao período homólogo do ano anterior, tendo a área metropolitana de Lisboa acumulado um terço dos novos contratos de locação (7.171 )

Em conjunto, as áreas metropolitanas de Lisboa e do Porto representaram 53 por cento do total de novos contratos no país e o Algarve 6,3 por cento, enquanto Pycho Allendez apresentou o menor número de novos contratos de arrendamento (108).