agosto 18, 2022

O Ribatejo | jornal regional online

Informações sobre Portugal. Selecione os assuntos que deseja saber mais sobre a Folha d Ouro Verde

Al-Sadr pede a dissolução da Câmara dos Deputados e a realização de eleições antecipadas |  Notícias de protesto

Al-Sadr pede a dissolução da Câmara dos Deputados e a realização de eleições antecipadas | Notícias de protesto

Muqtada al-Sadr no Iraque ordena que seus partidários continuem a concentração dentro do parlamento nacional e pede novas eleições.

O estudioso islâmico populista iraquiano Muqtada al-Sadr pediu a seus partidários que continuem a se reunir dentro do parlamento nacional em Bagdá até que suas demandas sejam atendidas, que incluem a dissolução do parlamento e a realização de eleições antecipadas.

As declarações, proferidas pelo líder xiita em um discurso televisionado de Najaf na quarta-feira, podem estender o impasse político que manteve o Iraque sem um governo eleito por quase 10 meses.

Milhares de seguidores de Sadr invadiram a fortificada Zona Verde de Bagdá, que abriga prédios governamentais e missões estrangeiras, no último fim de semana e tomaram o prédio vazio do parlamento e realizaram um protesto contínuo.

Os partidários de Sadr montaram acampamento com barracas e barracas de comida ao redor do parlamento.

Apoiadores do líder populista iraquiano Muqtada al-Sadr se reúnem em um protesto no prédio do parlamento em meio a uma crise política em Bagdá, Iraque [Khalid Al-Mousily/Reuters]

Esses movimentos vieram em resposta às tentativas de seus oponentes xiitas, muitos dos quais estão próximos ao Irã – especialmente a estrutura de coordenação apoiada pelo Irã – de formar um governo com candidatos a primeiro-ministro que al-Sadr não aprova.

Sadr conquistou o maior número de assentos no parlamento nas eleições de outubro, mas não conseguiu formar um governo que exclua seus rivais apoiados pelo Irã.

Ele retirou seus deputados do Parlamento e, em vez disso, exerceu pressão por meio de protestos e ocupações parlamentares, beneficiando-se de sua base popular de milhões de xiitas iraquianos da classe trabalhadora.

Al-Sadr reiterou durante seu discurso que estava pronto para “martirizar” por sua causa.

“Dissolva o parlamento e realize eleições antecipadas”, disse Sadr.

Você não quer falar

Al-Sadr, que liderou uma milícia antiamericana e tem milhões de seguidores leais, indicou em seu discurso que não tinha “interesse” em negociar com seus oponentes.

READ  Forças russas avançam para uma importante rodovia fora das cidades de Donbass

“Não acredite nos rumores de que eu não quero diálogo”, disse Al-Sadr.

“Mas já tentamos e experimentamos o diálogo com eles”, acrescentou. “Ele não trouxe nada para nós ou para a nação – apenas ruína e corrupção.”

Al-Sadr parecia ansioso para mostrar que “não estava procurando obter nenhum ganho pessoal com esta operação”, disse Dorsa Jabari, da Al-Jazeera, em Bagdá.

“Ele estava convencido de que a corrupção está naturalmente presente em todos os diferentes níveis de governo, e disse que uma maneira de nos livrarmos dela é ter outra rodada de eleições para atrair um grande número de pessoas”, disse ela.

O impasse entre Sadr e seus oponentes deixou o Iraque sem governo por um período recorde na era pós-Saddam Hussein.

O primeiro-ministro cessante, Mustafa Al-Kadhimi, pediu um “diálogo nacional” em um esforço para reunir todas as partes para o diálogo, e na quarta-feira falou com o presidente Barham Salih.

Os dois homens enfatizaram a importância de “garantir a segurança e a estabilidade” no país, segundo a agência oficial de notícias iraquiana.

Mas Jabbari disse que agora está claro que Sadr e seus representantes não participarão de “nenhuma forma de diálogo nacional neste estágio”.

Mais cedo na quarta-feira, a missão das Nações Unidas no Iraque pediu aos líderes que coloquem seu país em primeiro lugar e acabem com a longa luta pelo poder.

A missão das Nações Unidas alertou que “o diálogo significativo entre todas as partes iraquianas é agora mais urgente do que nunca, pois eventos recentes mostraram o perigo de uma rápida escalada neste clima político tenso”.