dezembro 9, 2021

O Ribatejo | jornal regional online

Informações sobre Portugal. Selecione os assuntos que deseja saber mais sobre a Folha d Ouro Verde

A Arábia Saudita disse às empresas que mudassem suas sedes regionais para Riade ou perderiam negócios.  está funcionando.

A Arábia Saudita disse às empresas que mudassem suas sedes regionais para Riade ou perderiam negócios. está funcionando.

  • O Reino da Arábia Saudita disse, nesta quarta-feira, que 44 empresas internacionais estão em processo de mudança de suas sedes regionais para a capital, Riad.
  • O reino corajosamente disse às empresas em fevereiro que não faria negócios com elas se não mudassem sua sede para lá.
  • Expatriados e banqueiros denunciaram a ação como “intimidação corporativa” anteriormente, mas parece ter surtido o efeito desejado.

Em fevereiro, a Arábia Saudita lançou um ultimato ousado às empresas multinacionais: mude sua sede regional para o país até 2024 ou o governo deixará de fazer negócios com você.

Este anúncio foi feito como parte de um amplo esforço do príncipe herdeiro Mohammed bin Salman para transformar a capital, Riade, em um centro global Finanças, Negócios e Logística, Portanto, o reino será menos dependente do óleo de que é feito 70% de suas exportaçõespor OPEP.

Investidores e expatriados rejeitaram a ideia na época, com muitos dizendo que era uma manobra para arrebatar negócios de Dubai, nos vizinhos Emirados Árabes Unidos, onde 90% da força de trabalho é estrangeira. Um financista veterano o descreveu como “Anti-concorrência” e “intimidação corporativa”, por CNBC.

Mas essa tática parece estar funcionando. O Reino da Arábia Saudita anunciou, nesta quarta-feira, que 44 empresas internacionais, entre elas PepsiCo, Siemens e Unilever, estão instalando suas sedes regionais em Riad, Notícia local relatada.

Hossam Al-Qurashi, diretor do programa da sede regional no Reino, disse no anúncio que sua capital está agora “testemunhando o maior movimento artístico desde o Renascimento”. In Arab News.

O novo total é de 24 empresas iniciais que disseram em janeiro que mudariam seus escritórios regionais de … De Dubai à Arábia Saudita.

READ  Como o México ajudou o Times a tirar seus jornalistas do Afeganistão

naquela hora, as autoridades tentaram atrair empresas com uma redução de impostos corporativos de 50 anos e isenções de cotas de emprego.

O ultimato de fevereiro tomou um rumo diferente. Um dos diretores regionais de uma empresa multinacional disse: “Todo mundo está com medo. Estamos acostumados com os governos oferecendo cenouras, mas desta vez um grande pedaço de pau saiu do saco.” Financial Times em tempo. “Honestamente, é ofensivo.”

Apesar da reação, Fahd Al-Rasheed, chefe da Comissão Real para a cidade de Riade, disse: Reuters O objetivo dos sauditas não é “desmantelar” negócios nos países vizinhos.

“Nós simplesmente dizemos – você deve ter uma sede regional aqui porque esta não é apenas uma economia de contrato entrando e saindo. Queremos vê-lo conosco por um longo prazo”, Ele disse na quarta-feira.

Al-Rasheed acrescentou que Riade deseja que 480 empresas estabeleçam sedes regionais lá até 2030 – também Prazo do príncipe herdeiro Tem como objetivo diversificar a economia da Arábia Saudita.

No entanto, o reino pode ter alguma dificuldade em replicar o sucesso de Dubai.

Assassinato em 2018 por agentes sauditas de Jornalista Jamal KhashoggiJoel Rubin, o ex-subsecretário de Estado adjunto, disse que, quem criticava a casa real, estragou a reputação global do reino e do príncipe Mohammed bin Salman e deixou seu fundo de riqueza soberana vulnerável. CNBC no início deste ano.

A Arábia Saudita tem tentado nos últimos anos sacudir sua reputação conservadora linha-dura com reformas como Permitindo que as mulheres dirigissem e abrindo cinemas pela primeira vez em décadas. Mas ainda não ofereceu um estilo de vida que se iguale às liberdades que os estrangeiros podem desfrutar em Dubai, como a liberdade de beber e expatriados. Ele disse à CNBC.

READ  A Holanda está reimplementando o mandato de máscara conforme aumentam os casos de COVID-19