páginas de topo

Tag Archives | arnaldo vasques

Cambedo por quem o viveu

Arnaldo Vasques Cambedo, na raia de Chaves, foi palco de um episódio trágico pós Guerra Civil de Espanha, aqui lembrado por quem o viveu. Juvenal Canavarro, figura estimada da nossa cidade, nasceu em Chaves, em 1936, filho de José de Sousa Canavarro, de Chaves, e de Palmira Lourenço, de Cambedo. Seu pai, Guarda Fiscal, ainda […]

Continuar a ler 3

Abraçar Santiago e Finisterra

Véspera de Ano Novo, tempo de encontro de amigos, conversa a meias e posta em dia. À mesa, na Bijou do Sacapeito, uma “bica” acorda-nos e solta-se a língua. Faz tempo em que nos vimos, eu e o Jorge Salgueiro, o bastante para me surpreender com as novas: fora em peregrinação, em setembro, a Santiago […]

Continuar a ler 0

O que eu mudava no Natal

Se eu fosse mágico e mandasse na roda do tempo, voltaria aos meus doze anos e àquele Natal na Beira Baixa! Abalámos num “carocha” – BH-16-82, era a matrícula – com destino a Idanha a Nova, a terra do meu avô António. Que conseguira em Santarém uma melhor vida, que não a de guardador de […]

Continuar a ler 0

Em memória de João Pimenta

João da Siva Pimenta, filho notável de Pontével, um cidadão de corpo inteiro, formou-se em Santarém na Escola de Regentes Agrícolas (1935). E é da mais elementar justiça, nas comemorações do 85.º Aniversário da Associação Académica de Santarém, evocar João Pimenta, que representou em duas modalidades a Briosa: futebol e atletismo. Ora, constatando-se que transmitia […]

Continuar a ler 0

Paneleiros de Bisalhães

A estória conta-se rápido. Há uns vinte anos, ao cimo de uma rua íngreme do lugar de Bisalhães, nas cercanias de Vila Real, abeirei-me de uma moradora indagando pelas olarias. “Ah! Quer saber dos paneleiros, não é meu senhor!?” Não me desmanchei e respondi muito sério, que sim, era isso mesmo, sem perceber patavina daquela […]

Continuar a ler 0

O poiso de Nossa Senhora

Nossa Senhora de Fátima poisou docemente sobre uma azinheira no ano de 1917. De mansinho, como algodão em rama, dependurou-se frente aos três pastorinhos. Era, mais ou menos assim, o sermão da professora Maria Luísa, que sempre lhe dava para ali a inclinação beatífica, na primária dos Combatentes, em Santarém. Explicava que a Senhora era […]

Continuar a ler 1

Memórias do Trajar no Grainho e Fontainhas

Dina Bernardino e Helder Ferreira, componentes do Rancho Folclórico do Bairro de Santarém, Grainho e Fontainhas, investigaram, desde 2008, o traje usado em duas aldeias em volta de Santarém: Grainho e Fontainhas. A obra, com revisão de Manuela Dâmaso, aborda uma vertente etnográfica da representação folclórica: o traje. O método de pesquisa vai da recolha, […]

Continuar a ler 0

Powered by WordPress. Designed by Woo Themes