Aldeia de Cem Soldos em contagem descescente para o Festival Bons Sons

em Cultura

Durante o festival, a aldeia ganha uma nova vida e todos os recantos são preparados ao mínimo detalhe. Para isso, os cem-soldenses juntam-se para dar forma ao evento: cedem terrenos e quintais, montam infraestruturas, limpam, costuram, cozinham e, durante o festival, abrem as portas das suas casas e recebem com um sorriso todos os que rumam a Cem Soldos. Dos mais velhos aos mais novos, todos participam, até as crianças, que fazem visitas guiadas que dão a conhecer o património histórico, as vivências e os projetos da comunidade. Estes passeios, orientados por quem corre pela aldeia todos os dias, são gratuitos mediante a inscrição no Posto de Informação.

Desde o conteúdo dos sacos de boas-vindas dos artistas, que são personalizados pelos habitantes (cada família prepara os presentes de boas-vindas), passando pelos produtos feitos por avós e netos do grupo de costura criativa de Cem Soldos, às peças artesanais vendidas na loja do BONS SONS, tudo no festival tem um toque dos habitantes da aldeia que, todos os anos, desenvolvem novas ideias. Nesta edição, em que o amor invade a aldeia, os cem-soldenses puseram as mãos na tinta e vestiram as paredes, janelas e varandas com mensagens para os visitantes.

O BONS SONS é, assim, feito de bons momentos entre o público mas, também, da partilha de vivências entre quem visita e habita a aldeia.

 

ARTES PERFORMATIVAS,
CINEMA E MESA REDONDA

Entre concertos, o festival aposta também num conjunto de atividades paralelas. Além das iniciativas para famílias e da feira de artesanato, a programação inclui performances, cinema, dança, uma mesa redonda e uma instalação que terão lugar no Auditório Agostinho da Silva.

Na sexta-feira, dia 10 de agosto, em duas sessões, às 15h00 e às 18h00, o cinema chega ao festival com as Curtas em Flagrante. Com filmes essencialmente portugueses, estas sessões levam-nos até revoluções, à infância, aos amores e desamores e à arte urbana, entre muitas outras histórias para ver no grande ecrã: Eden, de Ana Pio; Habitat, de Max Henrrique; Câmara Nova, de André Marques; Porque é este o meu Ofício, de Paulo Monteiro; 20 anos de oficinas num convento, de Pedro Grenha, Rodolfo Pimenta e Rui Cacilhas; Noite de São João, de José Pedro Lopes; Laranja Amarelo, de Pedro Augusto Almeida; Pedras no Caminho, de Diogo Pessoa de Andrade; Norley e Norley, de Flávio Ferreira; Como Semear uma Colmeia?, de Tiago Moura; Fugiu. Deitou-se. Caí, de Bruno Carnide; Gary, de Marina Thomé; e Razão Entre Dois Volumes, de Catarina Sobral.

Nos dias 9, 11 e 12 de agosto, a programação do espaço fica a cargo da Materiais Diversos, uma parceria de programação com o BONS SONS que visa a potenciação sinérgica da cultura numa área territorial próxima onde ambas atuam. Tirando partido do conhecimento e desenvolvimento artístico de cada uma, nas áreas da música e das artes performativas, respetivamente, esta parceria visa a programação cruzada nos eventos de ambas as associações.

Neste espaço, serão também apresentados os projetos selecionados pela bolsa Filhos do Meio, atribuída pela Materiais Diversos para apoiar e dar a conhecer artistas de Santarém. Classe do Jaime, de Susana Domingos Gaspar e Edgar Valente, e S E N S O, do Colectivo249, foram os projetos escolhidos, no ano passado, e integram agora o programa do BONS SONS, parceiro da iniciativa.

Ainda no domingo, às 19h15, a Mesa Redonda Os Lugares e os/dos Artistas vai dar a conhecer os projetos e artistas Filhos do Meio, procurando compreender a importância desta bolsa nos seus percursos profissionais e pessoais, mas também refletir sobre a importância da prática artística na vida dos lugares e sobre a vitalidade que os lugares trazem à criação artística.

 

 

 BONS SONS ARRANCA
E TERMINA EM FESTA

 

Os primeiros acordes do BONS SONS vão entoar no dia anterior ao festival, a 8 de agosto, com a chegada dos campistas ao recinto. O concerto da Festa de Receção fica a cargo da banda vencedora do concurso Por Estas Bandas, dedicado à promoção e valorização da produção musical independente. Este lugar é ocupado pela banda Os Zhérois 2.1. – quinteto de Ourém que traz na bagagem uma noite promissora à qual se juntará, em DJ Set, a crew do Cover de Bruxelas, programa semanal da RUC – Rádio Universitária de Coimbra ávido defensor das versões cover.

Já no último dia, na hora da despedida, o BONS SONS dá mais uma oportunidade ao amor de verão. Na Festa de Encerramento, entre música, jogos e surpresas, FOQUE e GODOT vão lançar as suas setas musicais para celebrar os encontros, despedidas e memórias de quatro dias de festival e, quem sabe, proporcionar uma última chance para novas histórias. Foque é o projeto de a solo de Luís Leitão que nasceu da necessidade de ter independência musical e de largar, não as guitarras nem as baterias convencionais, mas o rock em geral, onde havia embrenhado grande parte da sua vida. Já o misterioso Godot assume-se como um “clown dos tempos modernos” centrado na energia, no estado de espírito, no gesto, na estética e no desenvolvimento de novas dramaturgias.

 

 

 

HORÁRIOS DOS CONCERTOS

 

Mais de cinquenta atuações, distribuídas por oito palcos, que vão trazer ao festival o rock, a pop, a folk, o jazz, passando pelo fado e o funk, até à eletrónica, numa autêntica celebração da diversidade de artistas e estilos musicais.

 

9 de Agosto

 

14:00 — Palankalanka MPAGDP

15:30 — Vozes de Manhouce com Isabel Silvestre MPAGDP

16:30 — Lince Giacometti

17:45 — Tia Graça – toda a gente devia ter uma Amália

18:00 — Sara Anjo Auditório Agostinho da Silva

19:00 — Jerónimo Giacometti

20:30 — The Lemon Lovers Zeca Afonso

21:45 — Salvador Sobral Lopes-Graça

23:00 — Fado Violado Amália

00:15 — Selma Uamusse Lopes-Graça

01:30 — Slow J Zeca Afonso

02:30 — Xinobi DJ Set Aguardela

 

10 de Agosto

 

14:00 — Patrícia Costa MPAGDP

15:30 — Meta MPAGDP

16:30 — S. Pedro Giacometti

17:45 — Norberto Lobo Amália

18:00 — Curtas em Flagrante Auditório Agostinho da Silva

19:00 — Tomara Giacometti

20:30 — João Afonso Amália

21:45 — Mazgani Lopes-Graça

23:00 — 10 000 Russos Zeca Afonso

00:15 — Sara Tavares Lopes-Graça

01:30 — Mirror People Zeca Afonso

02:45 — António Bastos Aguardela

03:45 — Forol DJ Set Aguardela

 

11 de Agosto

 

14:00 — Homem em Catarse MPAGDP

15:30 — Artesãos da Música MPAGDP

16:30 — O Gajo Giacometti

17:45 — Ela Vaz Amália

18:00 — Cristina Planas Leitão Auditório Agostinho da Silva

19:00 — quartoquarto Giacometti

20:15 — Miguel Calhaz Amália

21:30 — Zeca Medeiros Zeca Afonso

22:45 — Sean Riley & The Slowriders Lopes-Graça

00:00 — PAUS Zeca Afonso

01:15 — Cais Sodré Funk Connection Lopes-Graça

02:15 — Conan Osiris Aguardela

03:15 — Colorau Som Sistema Aguardela

 

12 de Agosto

 

14:00 — Orquestra de Foles MPAGDP

15:30 — Douradas Espigas MPAGDP

16:30 — Monday Giacometti

17:30 — Peltzer Zeca Afonso

18:00 — Susana Domingos Gaspar Auditório Agostinho da Silva

18:30 — Luís Severo Giacometti

19:45 — Rodrigo Amado Motion Trio Amália

21:00 — Dead Combo Lopes-Graça

22:15 — Moonshiners Amália

23:30 — Lena D’Água e Primeira Dama com a Banda Xita Lopes-Graça

00:45 — Linda Martini Zeca Afonso

02:00 — FOQUE + GODOT Aguardela

 

 

 

 

BILHETES À VENDA NOS LOCAIS HABITUAIS

PASSE 4 DIAS
45€

BILHETE DIÁRIO
22€

Deixe uma resposta

Your email address will not be published.

*

Ultima de Cultura

0 0.00
Ir para Topo