FNA18 – Feira Nacional de Agricultura / Feira do Ribatejo

FNA18 – Feira Nacional de Agricultura / Feira do Ribatejo 2 a 10 de Junho de 2018 - CNEMA, SantarémFique a conhecer um pouco sobre este grande certâme.#FNA18

Geplaatst door Ricardo Gonçalves op vrijdag 1 juni 2018

Feira Nacional de Agricultura dá palco principal ao cavalo e às tradições ribatejanas

em TVRibatejo/Últimas

Este ano, quando chegar ao recinto de diversões da Feira Nacional de Agricultura no CNEMA em Santarém vai encontrar uma nova disposição da zona de espetáculos. No lugar do palco principal de concertos vai estar uma grande plataforma retangular, com piso técnico e bancadas, para a realização das iniciativas equestres, as que normalmente acontecem todos os anos na feira, mas também outras criadas especialmente para o grande público, como vai ser o espetáculo de dia 9 à noite, em horário nobre da Feira, designado “O Cavalo, O Ribatejo e a Arte Equestre”.
A par desta mudança, o palco principal vai para uma posição mais lateral no grande relvado do CNEMA, ficando voltado para o lado contrário da bancada da manga das largadas. Quem for ver as largadas, que também passaram a ter um lugar nobre na Feira, logo depois da hora de jantar, já não vai poder ver os espetáculos sentado, terá que se deslocar para uma zona de relvado que faz uma espécie de anfiteatro natural. Esta alteração é uma aposta num novo conceito de Feira, mais voltada para as tradições ribatejanas, conforme salientou o presidente da CAP e do CNEMA, Eduardo Oliveira e Sousa. “Queremos reavivar o espírito da Feira do Ribatejo, que foi muito marcante para a cidade. Seria impensável atingir a dimensão que a Feira tem hoje lá em cima no Campo da Feira mas aqui em baixo a feira perdeu algum do cariz tradicional que tinha dentro da cidade. Perdeu muito das atividades relacionadas com o cavalo e com o toiro. Queremos reavivar este espírito ribatejano com atividades equestres, concursos, exibições em local e horário nobre, numa estreita colaboração com a Federação Equestre Portuguesa”, explicou o presidente do CNEMA.
Luís Mira, secretário-geral da CAP e administrador do CNEMA, acrescentou que atualmente os concertos já não são os principal e único motivo para as pessoas visitarem a feira. “Queremos investir em mais e melhores condições para as pessoas conviverem, provarem a gastronomia e usufruírem do ambiente de Feira. Há 20 anos, quando apostámos em grandes concertos não havia muitos. Agora há muitos e todas as semanas”, frisou Luís Mira. Ao nível das condições para os visitantes, há a destacar mais zonas sombreadas no exterior dos pavilhões e também novos sistemas para refrescar na zona dos restaurantes na nave C. Há também a registar um aumento da área de exposição, não do número de expositores, que é quase o mesmo. Neste capítulo das comparações, o administrador do CNEMA vai deixando uma ressalva: a edição da FNA deste ano realiza-se numa semana em que não há um feriado durante os dias úteis. O único feriado é ao domingo, dia 10. Por isso, a organização prevê que a edição deste ano não terá um aumento do número de visitantes. Aliás, Luís Mira defendeu que a Feira “está num patamar tal que já não pode ter muito mais expositores nem visitantes, até porque queremos manter a qualidade na visita, porque senão os visitantes não regressam”.

Outra novidade é que o CNEMA e Câmara de Santarém estão ligados na organização de um dia exclusivamente dedicado ao concelho, no dia 7 de junho, em que houve uma maior aposta na escolha do artista do palco principal, que será a banda HMB, assim como vai ser realizado um vasto conjunto de iniciativas, entre elas uma picaria. “Em conjunto estamos a fazer um esforço para que a Feira seja um marco do Ribatejo e de Santarém para o país”, afirmou Eduardo Oliveira e Sousa. Neste dia, as entradas serão gratuitas para os habitantes do concelho de Santarém. Mantém-se contudo o dia livre de segunda-feira, como é hábito na Feira.
Outra das apostas fortes é na rede de transportes para vir até à Feira e regressar a casa. Assim, além dos autocarros gratuitos do CNEMA (em colaboração com a Rodoviária), que fazem um percurso entre a estação da CP e o CNEMA, com passagem por vários pontos da cidade (Vale de Estacas, São Domingos, planalto, Campo da Feira, Sacapeito), a organização da FNA estabeleceu também um acordo com a Rodoviária para que os bilhetes nas carreiras urbanas de Santarém (Scalabus) custem apenas 1 euros para todos os passeiros que os quiserem utilizar. Foi feito ainda um acordo com a CP para que sejam praticados descontos de 30% nos bilhetes com destino à estação de Santarém para os visitantes da Feira. À semelhança de outros anos, existe uma carreira rápida entre Lisboa, Azambuja, Cartaxo e Santarém, com venda a bordo do bilhete para a Feira. A novidade é a criação de uma carreira entre a Golegã, com passagem pela Chamusca, Vale de Cavalos, Alpiarça e Almeirim. “O objetivo é dar comodidade às pessoas para não perderem muito tempo a estacionar“, salienta Luís Mira. O tema central da Feira é o azeite e olivicultura e será em Santarém que vai acontecer o “World Olive Oil Summit” com debate alargado e mundial sobre o setor que tem vindo a crescer de peso na economia nacional. Portugal triplicou a produção de azeite nos últimos anos e está entre os melhores azeites do mundo. Além do Summit, realiza-se o Congresso Nacional de Azeites (dias 7 e 8), um simpósio (dias 7 e 8) e ações de cozinha ao vivo com harmonizações de azeite, gastronomia e vinhos. A entrada principal do CNEMA vai estar decorada com oliveiras naquele que se chama o Jardim das Oliveiras.
Como habitualmente decorre em simultâneo a Fersant, uma organização da Nersant. Como frisou Luís Mira, “pena é que não haja outras feiras que se queiram juntar a nós”. Em 2018, assinalam-se também os 100 anos da criação do Ministério da Agricultura e a Feira vai dedicar especial atenção a esta efeméride no dia 9 de junho e o próprio ministério vai ter um stand relacionado com esta data. Ao nível de visitas, estão confirmadas as presenças do Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, na inauguração no dia 2 e depois no dia 8, no encerramento do Congresso do Azeite. Virá ainda Phill Hogan, Comissário Europeu da Agricultura e do Desenvolvimento Rural, assim como o Comissário Europeu Carlos Moedas.
A escolha das datas tem a ver com a tradição da feira em apanhar o dia 10 de junho. A opção podia ser começar no dia 9 e seguir até à semana seguinte mas, como explicou Luís Mira, o facto de ser meados do mês já pode impedir muitos de virem, até porque iria coincidir com outros eventos. Assim a opção passou por ser logo no início do mês, não apanhando nenhum feriado mas contando que as carteiras estão mais cheias para poderem pagar os bilhetes diários a 7 euros e quem sabe adquirir produtos presentes no Salão Prazer de Provar. Os livre-trânsito custam 20 euros e dão acesso a todos os dias e a qualquer hora. O estacionamento também é gratuito assim como são gratuitas as entradas para as crianças até 11 anos.

Deixe uma resposta

Your email address will not be published.

*

Ultima de TVRibatejo

0 0.00
Ir para Topo