Festival Bons Sons Cartaz de luxo com Salvador Sobral, Sara Tavares e Lena d’Água

em Cultura

O cartaz deste ano do Festival Bons Sons já foi revelado e traz a Cem Soldos concertos de Salvador Sobral, Sara Tavares, Lena d’Agua e Primeira Dama. O festival anima o Verão português só com música portuguesa, entre 9 e 12 de agosto, dias em que a aldeia de Cem Soldos de transforma por completo num recinto com oito palcos. Este ano há novidades nos nomes e nos conceitos de cada um dos palcos assim como também vai ser possível aos festivaleiros fazer pagamentos com a pulseira que lhes deu acesso ao recinto. “Por sermos nós, aldeia, a receber e a servir, queremos evitar alguns processos mais burocráticos e facilitar a vida a quem nos visita, sem preocupações com dinheiro nem filas para pagamentos”, explica Luís Ferreira, da organização do festival.

Além da música há exposições, feira e ciclos de cinema. Luís Ferreira explicou ainda que o festival deste ano traz novidades no recinto e na forma como os participantes que vão rumar à aldeia. No festival, que se assume como “um amor de verão”, este ano mudam de nome o Palco Eira, que passa a denominar-se palco Zeca Afonso, e o Palco ao Sol que passa a chamar-se Palco Amália. O primeiro vai ter um registo mais intimista e recebe nomes como The Lemon Lovers, Slow J, 10.000 Russos, Mirror People, Zeca Medeiros, Paus, Peltzer e Linda Martini. O segundo recebe concertos de Norberto Lobo, João Afonso, Miguel Calhaz, Ela Vaz, Motion Trio, Moonshiners, Fado Violado e o espetáculo “Tia Graça – Toda a gente devia ter uma”. No palco Giacometti, também de grande proximidade com o público, atuam Lince, Jerónimo, S. Pedro, Tomara, O Gajo, Quartoquarto, Monday e Luis Severo. No Palco Música Portuguesa a Gostar Dela Própria, as propostas são Palankalama, Patrícia Costa, Meta, Vozes de Manhouce, Homem em Catarse, Artesãos da Música, Orquestra de Foles e Douradas Espigas.

O palco Aguardela é reservado para os DJ como António Bastos, Conan Osiris, Colorau Som Sistema e Xinobi. O auditório da aldeia muda também este ano de nome, adotando a denominação “Agostinho da Silva”, para dar o “exemplo na forma como [se trabalha] em Cem Soldos”, afirmou Luís Ferreira, alinhado com “a visão que ele tinha do trabalho cultural nas comunidades”. Será por este palco que vão passar performances de dança e “Curtas em flagrante”, um festival de curtas-metragens oriundas de Países de Língua Oficial Portuguesa.

O palco principal, chamado Lopes Graça, continua a receber os grandes concertos com Salvador Sobral, Selma Uamusse, Mazgani, Sara Tavares, Sean Riley & The Slowriders, Cais Sodré Funk Connection, Dead Combo, Lena D’Água e Primeira Dama com Banda Xita.

Os pagamentos são feitos “através de carregamentos de dinheiro nas pulseiras, nas bilheteiras ou nos bancos do festival”. O evento reforça também o compromisso de reduzir a pegada ecológica, disponibilizando “mais casas de banho secas nos campismos” ou as canecas reutilizáveis que, no ano passado, foram muito bem recebidas por todos e “tiveram impactos visíveis no espaço onde quase não havia resíduos no chão”.

O Bons Sons é organizado pelo Sport Club Operário de Cem Soldos desde 2006 e manteve-se bienal até 2014, passando a realizar-se anualmente e tendo recebido, em oito edições, 278 concertos e 238.500 visitantes. A aldeia de 600 habitantes é fechada e o seu perímetro serve de delimitação para o recinto do festival. É a própria população que recebe e serve os festivaleiros, transformando garagens em salas de espetáculos, pomares em parques de estacionamento, jardins em restaurantes a céu aberto e abrindo as casas a concertos espontâneos.

Preços Os bilhetes para o festival podem ser adquiridos até julho ao preço de 40 euros pelo passe de quatro dias (com campismo incluído) e de 20 euros pelo bilhete diário. Em agosto os valores aumentam, para 45 e 25 euros, respetivamente.

Deixe uma resposta

Your email address will not be published.

*

Ultima de Cultura

AMAR O AZEITE

Na próxima edição do Festival Nacional de Gastronomia o Azeite será o
0 0.00
Ir para Topo