Eu Gosto de Santarém – Mercado Municipal de Santarém, uma obra esquecida

em Cultura

O Mercado Municipal de Santarém Custou pouco mais de 500 contos e foi construído em menos de um ano. Inaugurado no dia 09 de Novembro de 1930, foi erguido na zona conhecida como Chão de Feira ou Campo Fora de Vila. O novo edifício coberto substituiu o tradicional mercado diário que se realizou ao ar livre ao longo dos séculos na Praça Velha, a actual Praça Visconde Serra do Pilar, no centro histórico da cidade. Desde 1890 que as autoridades locais tentavam construir um novo mercado municipal.
No dia de abertura, a festa contou com a animação da Sociedade Musical Alcanenense, enquanto a Câmara ofereceu comida e bebida para a população que compareceu em peso. A noite terminou com a actuação da Banda dos Bombeiros e com um espectáculo de luzes coloridas.
A obra, adjudicada por 530 mil escudos, foi um dos primeiros projectos, em 1928, de Cassiano Viriato Branco (1897-1970), hoje dos nomes mais reconhecidos da arquitectura nacional. O historiador escalabitano José Raimundo Noras chamou-lhe ‘uma obra esquecida”, dada a ausência de qualquer referência ao projecto de Santarém entre as construções que o arquitecto deixou de Norte a Sul de Portugal. Foi classificado como Monumento de Interesse Público em 2012.
Nas paredes que rodeiam o Mercado encontram-se 55 painéis de azulejos com imagens do património e monumentos da cidade, representações de trabalhos agrícolas ou outras práticas típicas da região. Quando foi inaugurado existia apenas um painel de azulejos sobre a porta principal, vindo da Fábrica Aleluia. Os restantes não constavam no projecto original. Foram encomendados à Fábrica de Louça de Sacavém, e aplicados após a construção do edifício, entre 1932 e 1936, com imagens de diferentes artistas.

Obras em 2018 Após vários projectos anunciados e sucessivamente adiados, os trabalhos de requalificação do Mercado devem começar no próximo mês de Abril, segundo disse o presidente da Câmara de Santarém, Ricardo Gonçalves, na sessão de Câmara de 22 de Janeiro. O autarca informou ainda que a obra vai custar cerca de 12,5 milhões de euros. O anterior projecto não foi aprovado pela Direcção Geral do Património Cultural (DGPC) e foi preciso ir de encontro às exigências da DGPC.
Até lá, o Mercado Municipal de Santarém continua aberto diariamente, de segunda-feira a sábado de manhã, onde os resistentes vendedores teimam em esperar, em vão, por possíveis clientes que se manifestam, sobretudo, em inúmeros comentários saudosistas nas redes sociais.

Carlos Quintino
info@eugostodesantarem.pt

Deixe uma resposta

Your email address will not be published.

*