• Soluções-locais-para-o-Rio-Tejo-Visita-ao-Rio-Tejo-em-Barco-063.jpg
  • Soluções-locais-para-o-Rio-Tejo-Visita-ao-Rio-Tejo-em-Barco-101.jpg
  • Soluções-locais-para-o-Rio-Tejo-Visita-ao-Rio-Tejo-em-Barco-104.jpg
  • Soluções-locais-para-o-Rio-Tejo-Visita-ao-Rio-Tejo-em-Barco-144.jpg

Santarém – Executivo municipal embarcou rio acima em busca de “soluções locais para o Rio Tejo”

em Últimas

A Câmara Municipal de Santarém (CMS) organizou esta quarta-feira, dia 6, pelas 09h30, uma viagem de barco no Tejo, com saída da Ribeira de Santarém e destino à Foz do Rio Alviela, onde ficaram barrados pela elevada concentração de jacintos de água, que impediu a circulação das duas embarcações, uma dos Bombeiros Municipais e outra dos Bombeiros Voluntários.

Das tripulações dos dois barcos fizeram parte Ricardo Gonçalves, presidente da CMS, e os vereadores Inês Barroso, Jorge Rodrigues e Ricardo Rato, a coordenadora da Equipa Multidisciplinar de Ação para a Sustentabilidade (EMAS) da CMS, Maria João Cardoso, o geólogo e investigador da Universidade de Évora, Carlos Alberto Cupeto, e o fotógrafo de natureza José Freitas.

Segundo a nota da autarquia, “a navegabilidade no Rio fez-se com normalidade, visto que o caudal se apresenta com bons níveis de água. Contudo, as embarcações tiveram que parar o curso no acesso à Foz do Rio Alviela, que desagua no Tejo, devido ao manto denso de jacintos de água. Este indicador é revelador quer da falta de corrente, uma vez que proliferam em aguas paradas e nas margens, quer da má qualidade da água, visto que se alimentam de sais minerais provenientes da decomposição de matérias orgânicas”.

Esta ação teve como objetivo “alertar para a poluição do Rio Tejo, identificando os principais problemas, com vista à adoção de medidas que visem a prevenção e responsabilização dos seus agentes, pelo impacto negativo que provocam na biodiversidade e na sustentabilidade dos recursos hídricos”.

 

2 Comments

  1. Uma viagem do executivo municipal da CMS rio acima, para sentir a POLUICAO do martirizado TEJO, nao teve o efeito desejado. E’ que na Foz do Alviela (Aldeia dos Pescadores / Vale de Figueira) uma das zonas mais perigosas do RIO TEJO, causa dos fundoes que por la’ existem (experiencia propria), as duas lanchas ficaram travadas pelo manto compacto de jacintos de agua. Agora e’ planear outra navegacao, e’ que a POLUICAO no RIO TEJO, desgracadamente, continuara’ por mais algum tempo. Ela nao vai desaparecer com o resultado de uma qualquer varinha magica. REQUIEM FOR A DREAM.

    Rudi B. – Fi

  2. Uma viagem do executivo municipal da CMS rio acima, para sentir a POLUICAO do martirizado TEJO, nao teve o efeito desejado. E’ que na Foz do Alviela (Aldeia dos Pescadores / Vale de Figueira) uma das zonas mais perigosas do RIO TEJO, causa dos fundoes que por la’ existem (experiencia propria), as duas lanchas ficaram travadas pelo manto compacto de jacintos de agua. Agora e’ planear outra navegacao, e’ que a POLUICAO no RIO TEJO, desgracadamente, continuara’ por mais algum tempo. Ela nao vai desaparecer com o resultado de uma qualquer varinha magica. REQUIEM FOR A DREAM.

    RB – FI

Deixe uma resposta

Your email address will not be published.

*

Ultima de Últimas

0 0.00
Ir para Topo