• internet-das-coisas-Tagusgás-.jpg
  • internet-das-coisas-Tagusgás-_1.jpg
  • internet-das-coisas-Tagusgás-_2.jpg
  • internet-das-coisas-Tagusgás-_3.jpg
  • internet-das-coisas-Tagusgás-_4.jpg
  • internet-das-coisas-Tagusgás-_5.jpg
  • internet-das-coisas-Tagusgás-_6.jpg

Tagusgás estuda a “internet das coisas”

em Economia

A Tagusgás, a empresa distribuidora de gás do Cartaxo, continua à procura de estar na linha da frente da inovação empresarial e realiza com regularidade palestras e encontros de debate e reflexão para os seus funcionários e convidados. A última edição de “Conversas ao almoço” trouxe ao Cartaxo responsáveis da Altice-PT para falarem sobre “a internet das coisas”. Inês Ferreira explicou que a PT tem soluções de telemetria avançada que permitem monitorizar o funcionamento de vários equipamentos, assim como autonomizar algumas funções com recurso a comunicação entre dispositivos. Trata-se de soluções de comunicação remota, com base na rede da PT mas assentes em plataformas e aplicações que são desenvolvidas à medida de cada setor. É o caso das soluções de telemetria para o setor das águas, que tem permitido poupanças, melhor controlo de contadores e deteção e fugas. Mas o mesmo conceito pode ser aplicado a depósitos e gás, através de controlo remoto que monitorize o volume de gás consumido e existentes nestes tanques, uma solução de distribuição a que a Tagusgás recorre através das suas Unidades Autónomas de Gaseificação.

Diz Inês Ferreira que estas soluções permitem reduzir custos operacionais, com poupanças em deslocações, com melhoria na eficiência dos equipamentos, melhor gestão de frotas, aumentos de produtividade e até geração de novas áreas de negócio, nomeadamente, com base na informação recolhida por estes dispositivos e que pode ser comercializada ou usada para fornecer novos serviços aos clientes. No caso da água, a telemetria tem permitir faturar com base em dados reais e não apenas em estimativas, detetar fugas de água ou ligações ilegais à rede.  Há também já tecnologia que permite monitorizar o volume de enchimentos dos caixotes de lixo ou ecopontos, tornando as rotas de recolha mais eficientes.

 

1 Comment

Deixe uma resposta

Your email address will not be published.

*

Ultima de Economia

0 0.00
Ir para Topo