Empresa de Benavente distinguida pela Comissão Europeia

em Economia

A empresa Charge2C-NewCap de Benavente foi selecionada para o programa Horizonte 2020 da Comissão Europeia que financia 184 Pequenas e Médias Empresas de 28 países europeus com projetos de inovação, com um total de 8,9 milhões de euros.
A empresa de Benavente tem um inovador na área da mobilidade de transportes e cidades inteligentes e é uma das três empresas portugueses beneficiadas com um financiamento de 50 mil euros cada, que vão apoiar a realização de estudos de viabilidade para novos produtos que rompam com a o padrão normal da atividade nas áreas respetivas.
O Ribatejo falou com os responsáveis da Charge2C-NewCap que especificaram um pouco mais do seu projeto. A empresa pretende implementar novas soluções de armazenamento de energia através de um novo dispositivo híbrido que pode operar em ambientes difíceis e cuja célula de acumulação de energia pode ser fabricada em diferentes tamanhos e combinada com outras células, para responder às diversas e variadas necessidades dos clientes.
Além disso, os especialistas da empresa desenvolveram um novo método de fabrico de elétrodos, constituídos por óxidos metálicos com uma estrutura com moléculas em cascata que permitem armazenar energia elétrica de forma diferente. Estes elétrodos têm a vantagem de ser aquosos, não inflamáveis, de baixo custo e com diferentes formatos das células. Esta tecnologia pode ser aplicada no transporte pesado, em veículos híbridos de passageiros ou no arranque de turbinas de vento. No caso de aplicação em autocarros, ou noutros veículos a diesel, esta nova tecnologia elimina os riscos da bateria descarregada concentrando o arranque do veículo nos supercapacitadores Charge2C-NewCap.
Esta empresa foi fundada em 2004 e tem como sócios Rui Silva, André Mão de Ferro, Maria de Fátima Montemor (Professora do Instituto Superior Técnico), Maria João Carmezim (Professora Instituto Politécnico de Setúbal), Maria Teresa Moura e Silva (Professora do Instituto Superior de Engenharia de Lisboa) e Sónia Eugénio (Professora na Universidade Atlântida). É uma startup e está já a fabricar protótipos de supercapacitadores de energia baseados em óxidos metálicos.
O Instrumento PME, mecanismo que vai apoiar este projeto, é financiado pelo Programa europeu de investigação Horizonte 2020 da responsabilidade do Comissário europeu Carlos Moedas. Nesta primeira ronda, a Comissão Europeia recebeu 2111 propostas, das quais 184 PME foram selecionadas para financiamento 178 projetos propostos no total (várias PME podem estar envolvidas num projeto). A maioria dos projetos financiados foram na área das TIC (36), seguida pelos sistemas energéticos eficientes e com baixo teor de carbono (31) e, ainda, dos transportes (28). Desde o lançamento do programa, em 1 de janeiro de 2014, foram selecionadas no âmbito da fase 1 do Instrumento PME, 2 208 pequenas e médias empresas, das quais 57 são portuguesas. A próxima data de candidatura para a fase 1 é 3 de maio.

Deixar uma resposta

Your email address will not be published.

*

Ultima de Economia

0 0.00
Ir para Topo