Crime “satânico” filmado em Santarém – FOTOS

em Cultura/Fotogalerias

[dmalbum path=”/wp-content/uploads/dm-albums/Eclipse em Portugal 1/”/]

Fotos César Cordeiro
 

“Isto não é um filme de Hollywood mas é um filme de Santarém”, afirmou o produtor e realizador Alexandre Cebrian Valente, na apresentação da sua mais recente produção, o filme “Eclipse em Portugal” que será totalmente rodado em Santarém, entre 1 de março e 2 de abril.
Na apresentação desta “história de faca e alguidar”, que decorreu no Convento de S. Francisco, estiveram várias “estrelas” que vão fazer parte do elenco, entre elas, Fernanda Serrano, Pedro Fernandes, Sofia Ribeiro, Sandra Cóias, Rute Miranda, Rita Andrade, FF, António Raminhos e também algumas “estrelas locais” que vão integrar o elenco como Filipa Martinho e ainda o grupo de músicos de Santarém, liderado pelo guitarrista Ricardo Gama (do Conservatório de Música de Santarém), que vai compor a banda sonora original do filme.
Este filme é baseado na história verídica de um jovem de Aveiro, conhecido por Tó Jó, que, em 1999, foi condenado a 25 anos de cadeia por assassinar os pais com 33 facadas, num crime que se pensa ter tido contornos de rituais satânicos, uma vez que foi cometido a seguir ao último eclipse solar do milénio. Tó Jó sempre afirmou que foi a namorada que o terá convencido a praticar o crime como “prova de amor”. A história fez furor em Portugal e, quinze anos depois, o produtor Alexandre Cebrian resolveu pegar na trama e transpô-la para filme, aproveitando também
a provável coincidência de este ano Tó Jó poder ser libertado por bom comportamento, quase na mesma altura da estreia do filme, que está prevista para outubro.
Cebrian disse que, apesar do risco financeiro de uma produção desta dimensão ser feita fora de Lisboa, acha que “é nesta altura que os aventureiros devem fazer alguma coisa pelo bem da cultura e da arte”. “Tenho a certeza de que é o momento”, afirmou o produtor cuja “coragem” foi muito elogiada por todos os atores e responsáveis autárquicos locais que falaram nesta apresentação. As filmagens vão acontecer nas ruas e monumentos da cidade, concentrando-se também nas antigas instalações do presídio. “Encontrei estes locais e estas pessoas maravilhosas de Santarém”, frisou Cebrian, secundado logo de seguida por Ricardo Gonçalves que afirmou ser “importante que as nossas ruas e monumentos estejam durante semanas nas telas do cinema”.
Além de Santarém, também o Cartaxo estará na rota destas “estrelas” do cinema que vão pernoitar no Hotel da Quinta das Pratas por falta de espaço em Santarém. Esta solução foi encontrada com “apoio” do presidente da Câmara do Cartaxo, Paulo Varanda, que também esteve na cerimónia. Cebrian fez questão ainda de mencionar o Conservatório de Santarém pelo apoio na banda sonora.

ESTRELAS O apresentador Pedro Fernandes, do programa “5 para a meia noite” será o protagonista, fazendo o papel de Tó Quim (o personagem do filme que representa Tó Jó). É a estreia em cinema deste apresentador. No elenco é só estreias, o cantor FF, Sofia Ribeiro (que vai ser Anita, a namorada de Tó Quim e que o convence a matar os pais), Rita Andrade (apresentadora do Fama Show da SIC), António Raminhos (humorista do programa “5 para a meia noite”), entre outros.
Fernanda Serrano será uma das “estrelas da companhia” fazendo o papel da mãe de Anita, uma beata. A produtora está à procura de figurantes locais para entrarem neste filme. Os interessados podem candidatar-se no site da empresa municipal Viver Santarém, em www.viversantarem.pt.

SINOPSE O filme conta a história de Tó-Quim, um adolescente de Aveiro que mata os pais à facada com 33 golpes. Este enredo O filme vai colocar Tó-Quim como um miúdo normal mas que, depois de entrar para uma banda de black-metal, pela mão de um amigo e conhece Anita a baterista, por quem acaba por se apaixonar. Filho único de um casal de médicos, deixa crescer o cabelo e a sua indumentária passa a ser negra. Tudo corre na normalidade até o dia em que o eclipse do século se dá, a 11 de Agosto de 1999, e Tó-Quim mata os pais à facada. A população atribui o maquiavélico plano a Anita. Depois de condenado, Tó-Quim cumpre 10 anos de cadeia e sai aparentemente arrependido. Torna-se sapateiro na prisão e mostra a sua revolta por Anita o ter abandonado e culpa-a de ter sido a mentora de todo o crime. “Interessou-se a estupidez gratuita de uma história destas que se pode tornar realidade”, referiu na apresentação Alexandre Cebrian, que é produtor, entre outros, dos filmes “Second Life”, “Corrupção” e “O Crime do Padre Amaro”.

19

11 Comments

  1. Não deixa de ser interessante andar-se a gravar um filme que provavelmente nunca vai passar nas salas de cinema no DISTRITO de Santarém.
    E com tanto romance bom escrito em português é com uma história destas que se escolhe mostrar Santarém.

  2. Acho que sim…era mesmo o que nos faltava era ficarmos associados a uma “belíssima” história como esta! E a seguir,aproveitando os escombros ruinosos em que a cidade se está a transformar, vêm aí uma remake do filme “O fim do Mundo”.
    Óh sorte!

  3. Estamos nos tempos em o que eh mau eh bom, e o que eh bom eh mau.
    Ver um filme sobre uma pessoa com peturbacoes mentais que cometeu um crime horrivel, deve ser mesmo lindo.
    Melhor ir tomar uma bica.
    Oh ainda melhor ver um filme do Carlo Pais (e tomar a bica), ele anda a fazer uns lindos films sobre vilas de Portugal incluindo o nosso Ribatejo, e tem um following internacional no Youtube digno de um galardao do departamento de turismo.

  4. Como não há bela sem senão, parece-me que estas filmagens terão como tudo na vida um lado bom. Por norma a limpeza das ruas é sempre reforçada na zona onde mora o cidadão que lidera o municipio. Como esse cidadão está conformado e envolvido directamente neste evento, pelo menos as ruas onde a trama vai ser rodada, estarão mais limpas que o normal. Acredito mesmo, que o pessoal do serviço de limpeza irá ver a sua frota reparada e funcional, para não dizer mesmo reforçada, como foi feito no dia de portugal que se realizou em Santarém, onde até se comprou uma varredoura nova. Não sei é se já foi paga, mas que foi comprada, lá isso foi.

  5. O que é que vai trazer de novo para o Cartaxo, os artistas pernoitarem no Hotel das Pratas, a não ser para interesse do seu proprietário e que tenha merecido o apoio do Presidente da Câmara Cartaxo – Paulo Varandas. E ainda vem dizer que herdou um "fardo pesado". Se tivesse que pagar do seu bolso, certamente que não teria tomado essa decisão. Mas como se brinca a olhos vistos com o dinheiro dos contribuintes, deixa andar.

Deixar uma resposta

Your email address will not be published.

*

Ultima de Cultura

À beira do abismo

À Beira do Abismo, A Europa 1914-1949”, por Ian Kershaw (Dom Quixote,
0 0.00
Ir para Topo