Fábrica de cervejas Cintra retoma produção em força em Santarém

em Economia

Após ter passado por um processo de insolvência, a fábrica fundada por Sousa Cintra tem novos proprietários que querem duplicar a sua capacidade produtiva.

A fábrica de cerveja Cintra entrou em funcionamento esta semana com uma quarta linha de produção que permitirá duplicar a capacidade de produção desta unidade, adquirida há um ano pela espanhola Font Salem no âmbito de um processo de insolvência.

Entrevistado pela Agência Lusa, Antoni Folguera, director-geral da Font Salem (Grupo Damm), um dos três principais cervejeiros espanhóis, afirmou que o primeiro ano de actividade em Santarém foi “muito positivo”, obrigando a alterar algumas das etapas do plano de negócios traçado “muito mais rapidamente” que o esperado.

“Não podemos dizer que estamos estáveis ao nível da produção e do mercado porque teremos que crescer muito mais para sermos competitivos, realmente rentáveis”, afirmou.

Construída pelo empresário Sousa Cintra e inaugurada em 2002, esta fábrica foi adquirida há um ano por 15,5 milhões de euros. Desde lá até agora teve que de sofrer um processo de “actualização” porque, apesar do edifício moderno, o equipamento encontrado pela Font Salem estava “obsoleto” e algum nem sequer funcionava, disse à Lusa o director-geral.

Com um historial de dificuldades financeiras praticamente desde o início da laboração, a unidade foi comprada em 2006 pelo grupo espanhol à Iberpartners, de Jorge Armindo.
Em 2010, a empresa voltou a registar graves dificuldades e entrou em insolvência. Foi aí que surgiu o grupo Font Salem.

No primeiro ano de actividade sob esta nova administração, e com os investimentos entretanto realizados, a fábrica “chegou ao nível máximo de capacidade de produção”, valor nunca atingido antes, disse Antoni Folguera.

Sem querer revelar o volume de produção alcançado nem os valores investidos, dados que classificam de “confidenciais”, o director geral da Font Salem apenas confirmou que os investimentos feitos e previstos “vão superar claramente” o valor da aquisição. O semanário Expresso adianta que, entre aquisição e ampliação da capacidade produtiva, o investimento da Font Salem em Santarém deverá rondar os 40 milhões de euros.

“Por isso, a nossa aposta no mercado português e nesta fábrica em Santarém é de longo prazo e definitiva. Não é uma aposta especulativa ou de curto prazo”, afirmou.

Além da duplicação da produção de cerveja, com a abertura da nova linha de engarrafamento de latas, a fábrica de Santarém vai ainda ser dotada da capacidade de produção de refrigerantes para o mercado das marcas de distribuição ibéricas.

Antoni Folguera relevou ainda que a Font Salem decidiu manter a marca Cintra, porque já existia no mercado e tinha “notoriedade”, estando a engarrafar barris para o canal «horeca» (bares, restaurantes, entre outros espaços) e a engarrafar para o mercado angolano, onde a marca já estava implantada e tem vindo a crescer.

O grosso da produção vai para o chamado segmento da distribuição, tendo a unidade entre os seus clientes todas as grandes cadeias de supermercados.

A partir da fábrica de Santarém estão igualmente a ser abastecidos os clientes de distribuição das regiões mais ocidentais de Espanha (da Galiza à Andaluzia), mantendo-se ainda a prestação de um serviço iniciado pela Iberpartners, de enchimento para outras marcas. A exportação para África,

Antoni Folguera afirmou que o Grupo Damm é líder na franja mediterrânica (com a marca Estrela Damm), detendo a Font Salem perto de 60 por cento do mercado de marcas de distribuição de cerveja e 45 por cento do de refrigerantes em Espanha.

A unidade de Santarém conta actualmente com 86 colaboradores, prevendo, com os investimentos em curso, chegar aos 120, disse.

15 comentários

  1. Gostava de saber onde posso beber uma cerveja Cintra.????????
    Não encontro no mercado nem em barril nem em garrafa.
    Será que só apostam nas linhas brancas, e no enchimento de marcas concorrentes?

  2. Era muito bom que muita gente pedi-se o regresso da Cerveja Cintra ao mercado nacional em particular da Cerveja Cintra Preta, uma das melhores Cervejas Pretas que já se fez em Portugal . Se não fosse a deficiente rede de distribuição que tinha a marca Cintra tinha sido um caso de negócio bem sucedido. Proponho um Movimento nas redes Sociais par termos esta Cerveja de volta para todos podermos degustar .

  3. Era muito bom que muita gente pedi-se o regresso da Cerveja Cintra ao mercado nacional em particular da Cerveja Cintra Preta, uma das melhores Cervejas Pretas que já se fez em Portugal . Se não fosse a deficiente rede de distribuição que tinha a marca Cintra tinha sido um caso de negócio bem sucedido. Proponho um Movimento nas redes Sociais par termos esta Cerveja de volta para todos podermos degustar .

  4. GOSTARIA DE SABER MORADA DO DEPARTAMENTO DE MARKETING DA VOSSA EMPRESA PARA PODER ENVIAR UM PROJETO DE UM SPOT DE PUBLICIDADE O MAIOR DE TODO O ALGARVE.
    :

Deixar uma resposta

Ultima de Economia

0 0.00
Ir para Topo